Lou Andreas-Salomé: a mulher que encantou Freud, Nietzsche e Rilke

Margarida Moura
Lou Andreas-Salomé: a mulher que encantou Freud, Nietzsche e Rilke
Lou Andreas Salomé e Friedrich Nietzsche

Lou Andreas-Salomé “(…) para quem ama, o amor, por muito tempo e pela vida afora, é solidão, isolamento, cada vez mais intenso e profundo. O amor, antes de tudo, não é o que se chama entregar-se, confundir-se, unir-se a outra pessoa. […] O amor é uma ocasião sublime para o indivíduo amadurecer, tornar-se algo por si mesmo, tornar-se um mundo para si, por causa de um outro ser: é uma grande e ilimitada exigência que se lhe faz, uma escolha e um chamamento para longe.” Excerto do livro “Os Sentidos da Paixão” – Ed.Cia das Letras, 1987.

Vê ainda: Vota nos prémios 4gnews! “Melhor smartphone do Ano, Marca revelação e Melhor design”

Famosa pela sua beleza e notável inteligência, Lou Andreas-Salomé nasceu em São Petersburgo a 12 de Fevereiro de 1861. Foi uma das primeiras psicanalistas femininas e uma das primeiras mulheres a escrever sobre a psicologia da sexualidade feminina. Tendo como exemplo "Anal and Sexual" (1916), uma obra admirada por Freud.

Lou Andreas-Salomé, quem foi?

De cabelos curtos e frisados, a criança Lou revelou cedo os aspectos que iriam marcar a sua singularidade: um olhar independente e firme, uma personalidade enigmática e uma tendência imaginativa, que a levava a fechar-se na solidão de um mundo encantado.

A intrepidez, inteligência e a sede de aprender de Lou atraíram Gillot que tomou a sua educação a cargo. Lou tinha dezassete anos e Gillot quarenta e dois.

A educação não se limitava apenas à religião, mas visava igualmente prepará-la para os estudos universitários que fará em Zurique, na Suíça, um dos raros países tolerantes que aceitava mulheres nos cursos superiores. Gillot apaixonou-se por Lou e propôs-lhe casamento. Embora o sentimento de Lou fosse recíproco, como mais tarde, nas suas Memórias, deixou transparecer, fugiu de Gillot, que lhe surgia como um obstáculo à sua liberdade, exactamente como fugirá, mais tarde, de outras relações com Paul Rée, Nietzsche e Rilke, quando a pediram em casamento.

Em Setembro de 1880, Lou partiu para Zurique, onde estudou lógica, história das religiões e metafísica.

Lou Andreas-Salomé conheceu Sigmund Freud em 1911 e foi ai que descobriu a sua paixão por psicanálise, sendo uma das poucas mulheres a entrar no Círculo Psicanalítico de Viena.

A livre e independente "Lou Andreas-Salomé"

Lou Andreas-Salomé, Friedrich Nietzsche e Paul Rée
Lou Andreas-Salomé, Friedrich Nietzsche e Paul Rée

Descrita como espírito livre desde os tempos de criança. Vivia inicialmente com o conceito que o melhor é não se apaixonar e renunciar-se aos prazeres eróticos. Só assim libertaria a criatividade intelectual.

Lou conheceu Sigmund Freud, Friedrich Nietzsche, Rainer Maria Rilke, Paul Rée, entre outros grandes nomes. Era uma mulher sensível e tinha fama de sedutora. A sua produção literária esteve quase sempre interligada com as suas relações amorosas, a feminilidade e o erotismo.

Aos 19 anos conheceu Paul Rée com quem formou uma parceria académica e posteriormente juntou-se à dupla, o amigo de Rée, Friedrich Nietzsche . Os três viajaram por Itália, onde criariam a sua comunidade "Winterplan", mas o plano não teve seguimento devido a um desentendimento entre a escritora e oNietzsche.

Lou Andreas-Salomé e Friedrich Nietzsche

Quando a relação de Lou Andreas-Salomé e Friedrich Nietzsche chegou ao fim, em 1882, o filósofo alemão enviou uma carta ao seu editor, Franz Overbeck, na qual referia: “A minha relação com Lou está nos últimos e mais dolorosos momentos. Pelo menos assim creio . Mais tarde – se houver um mais tarde – quero dizer uma palavra a respeito. Compaixão, meu caro amigo. É uma espécie de inferno, digam o que quiserem os adeptos de Schopenhauer.” Muitos referem que foi esta desilusão amorosa que o levou a escrever "Assim Falava Zaratustra".

Após a separação, Paul e Lou mudam-se para Berlim e vivem juntos durante cinco anos. Até que Lou conhece um estudioso de linguística. Friedrich Carl Andreas com quem se casa. Apesar de se opor ao casamento. Permanecendo casados entre 1887 até a sua morte em 1937.Lou Andreas-Salomé- a mulher que encantou Freud, Nietzsche e Rilke

Algumas dessas relações serviram de inspirações para as suas obras, tendo como exemplo; "A humanidade da mulher" e as"Reflexões sobre o problema do amor". No entanto, a filosofia e vida de Lou Salomé também foram fonte de inspiração para a obra desses mesmos pensadores como Friedrich Nietzsche.

Andreas-Salomé, o filme:

Confesso que o seu nome foi esquecido na história. Actualmente relembraram-no com a criação de um filme biográfico de Lou Andreas-Salomé. Pela minha tristeza não consegui encontrar o filme noutra língua sem ser Alemão. No entanto, este filme biográfico que não tem data de estreia em Portugal. É baseado na história de vida de Lou Andreas-Salomé, erealizado pela alemã Cordula Kablitz-Post.

A produção de 2016 retrata a vida da intelectual nascida na Rússia em diferentes fases da sua vida. Infância, quando sentia que nunca se ia casar ou ter filhos, e na fase adulta, quando trabalhou com grandes nomes e teve um relacionamento com Friedrich Nietzsch.

Caso queiras e para não perderes os próximos artigos, listas, dicas e análises, fiquem atentos às nossas redes sociais. Desde a página de Facebook e Instagram. Sem esquecer o YouTube onde terás também as nossas LiveCasts. Semanalmente, todas as segundas-feiras às 21:30, hora de Lisboa. Os nossos PodCasts são publicados no iTunes. Para que possas desfrutar deste conteúdo com a máxima qualidade. Fica a sugestão.

Caso tenhas encontrado este filme em inglês, refere aí nos comentários. Boa semana!

Assuntos relevantes na 4gnews:

Android Oreo 8.1 mostrará etiqueta de velocidade das redes Wi-Fi

Amazon Music Unlimited – Serviço chega agora a Portugal

Google Play Store – Samsung Email passa os 100 milhões de instalações