Instagram: influencers proibidos de usar filtros de beleza no Reino Unido

Rui Bacelar
Comentar

As redes sociais podem transmitir uma falsa realidade. Engodos de vidas perfeitas, rostos esbeltos e corpos modelados, ou, mais comummente padrões de vida desfasados da realidade para cativar seguidores no Instagram, Snapchat, TikTok, entre outras.

Este fenómeno potenciado pelas redes sociais é bem documentado e, na prática, nada é o que parece. Rara será a pessoa satisfeita com a sua aparência ou com a pela perfeita, sobretudo nas fotografias e conteúdos partilhados nas redes sociais.

Reino Unido proíbe o uso de filtros de beleza no Instagram

A Advertising Standards Authority (ASA), órgão de controlo do setor publicitário do Reino Unido vem agora proibir o uso de filtros de beleza no Instagram. As repercussões também se fazem sentir para as redes sociais Snapchat e TikTok.

Note-se ainda que a proibição não afeta os utilizadores particulares, mas sim as influencers patrocinadas por marcas de produtos de beleza e demais entidades ligadas ao setor.

Sempre que a empresa puder obter uma vantagem competitiva ou comercial com as publicações patrocinadas, divulgadas pelas influencers de moda e lifestyle, o uso de filtros de beleza está assim vedado.

O objetivo? Acabar com os falsos padrões de beleza potenciados pelos filtros e algoritmos de melhoria da imagem.

A sensibilização começou com a campanha de Sarah Pallari no Instagram

Entre as vozes mais sonantes a expor a falácia criada pelas redes sociais está a influencer Sarah Pallari, cansada de ver publicações e posts patrocinados pelas marcas com influencers que tiram proveitos dos filtros para criar uma "nova pele", perfeita e brilhante.

Face ao exposto, a autoridade britânica reguladora do setor, encarregue de vigiar e garantir boas práticas no mercado da publicidade, investigou a tendência e terá chegado às mesmas conclusões, tal como avança a BBC News.

Entretanto, Pallari iniciou a campanha #filterdrop, instando os demais influenciadores - instrumentos e veículos de tendências - para seguir o exemplo e deixar de usar tantos filtros nas suas publicações. Em particular, Pallari denuncia o filtro "Paris" no Instagram.

A ilusão criada pelos filtros do Instagram

Acima podemos ver aquilo que a influencer descreve como a sua imagem antes e após aplicar o filtro "Paris" no Instagram. O resultado é uma aparência perfeita da pele, aumento do brilho e redução drásticas das imperfeições naturais do rosto.

Pallari considera perigosos estes padrões de beleza artificial, sobretudo junto dos mais jovens, denunciando as "fantasias de beleza potenciadas pelos filtros de Instagram". Nas publicações mais recentes, Sarah expõe várias vezes esta prática.

"Costumava editar drasticamente as minhas fotos, usava filtros, passava cada minuto dos meus dias a tentar ficar parecida com outra pessoa", escreve Pallari na sua rede social, descrevendo uma das últimas publicações onde mostra as imperfeições do rosto.

Futuramente, sempre que alguém promova um produto de beleza nas redes sociais, além de o ter que declarar como tal, não poderá usar estes filtros de beleza. A medida ganha agora respaldo legal com a ação do regulador de setor no Reino Unido.

A influencer mostra-se orgulhosa do que conseguiu. Afirma que agora as pessoas saberão qual é o efeito real destes produtos de beleza na sua pele, ou pelo menos nos modelos que vêm e seguem.

Em Portugal vigora o Código da Publicidade, vertido no Decreto-Lei n.º 330/90, não prevendo nenhuma proibição para o uso de filtros e outros algoritmos para potenciar e alterar as imagens publicadas.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.