2017 influenciador

Pesam-nos as palavras, contam-nos as vírgulas, adivinham-nos as intenções e piscam-nos o olho com novas e variadas tentações. Hoje, apelidam-me de influenciador digital.

Recebi o convite para integrar a 4gnews há cerca de 2 anos. Torno-me assim autor. Sem me aperceber, pelo peso e escala que o projeto foi assumindo, ter-me-ei tornado num influenciador digital? Em quê, o que mudou?

   

Lamento, caro leitor, que seja forçado a levar com a minha cara logo pela manhã. A verdade é que não me ocorreu uma melhor imagem para ilustrar este tema. Aqui estou, como influenciador digital.

Nas palavras do nosso autor, David Ventura, influenciadores digitais são “Alguém cuja opinião influência alguém”. Depois de uma pesquisa pela enorme (e contraditória) Web, cheguei à conclusão que os influenciadores digitais são pessoas, personagens ou grupos que se tornaram populares nas diversas redes sociais, desde criadores de conteúdo a críticos acutilantes.

As redes sociais são o nosso palco e a vossa atenção o nosso pão. É deveras divertido e até inspirador pensar que, volvidos dois anos neste projeto, a minha opinião pudesse influenciar números cada vez maiores. E, como todos os dias me recordo, com grande poder vem uma grande responsabilidade.

“Influenciador Digital”- Seremos assim tão diferentes?

Aos olhos dos media convencionais somos um alvo a abater. O recente  “escândalo” Pewdipie vs Wall Street Journal veio confirmar as minhas suspeitas. O formato preso, formatado e dependente da publicidade está em plena decadência aos olhos do público mais jovem e mesmo junto dos jovens adultos. O surgimento e popularidade dos Blogs foi apenas o início.

Abstraindo do YouTube, um palco tão diverso como popular e controverso, centro-me na minha casa. Na palavra escrita e no artigo publicado. Foi na 4gnews que cresci como blogger e me tornei num formador de opinião, num influenciador digital.

influenciador digital
fonte: depositphotos

Senti que, a pouco e pouco, com o advento dos novos influenciadores digitais também vimos uma mudança comportamental e de mentalidade nos seguidores, que tendem a seguir o nosso estilo de vida. Isto é particularmente verdade no palco Instagram, ou no YouTube com os Vlogs inspiradores e sempre, forçosamente, positivos.

Em última análise, considero-nos pessoas extremamente sortudas por podermos veicular uma mensagem. Estudamos, comparamos, filmamos e redigimos as nossas opiniões sobre um produto, um tema ou qualquer outro tópico. Somos intrinsecamente iguais a si, caro leitor. Começamos por procurar ajuda, um guia, uma opinião ou tutorial. Acabamos, tão diferentes na responsabilidade que agora pesa nos nossos ombros e à qual não nos escusamos.

A responsabilidade acrescida do influenciador digital

Ditamos o sucesso ou possível fracasso de um produto, de uma marca, de uma moda, etc. Acreditem, as marcas não são alheias a tal facto. Por vezes abafam-nos, ignoram-nos até ao limite dos seus meios e influência. Basta uma palavra mal colocada, uma conjugação verbal que possa ofuscar o seu produto e somos colocados em “lista negra”.

Até que um dia…somos demasiado omnipresentes para ousarem ignorar-nos (e perdoem-me este auto-elogio enjoativo) mas esta é a realidade. No dia em que passamos X número de visualizações mensais ou X número de subscritores somos algo totalmente diferente.

Somos um instrumento de Marketing Digital?

Passamos a receber isto ou aquilo, um convite para aqui e para acolá e de influenciadores passamos a influenciados. É aqui que o influenciador digital tem que demonstrar maturidade e uma dedicação inexorável à sua causa, ao seu objetivo primordial de opinar, comparar e ajudar o leitor a formar a sua própria opinião.

É uma luta diária, o influenciador digital tem que se formar, informar e aprender a discernir a sua natureza humana, frágil e naturalmente influenciável, do seu espirito crítico, audaz e que lhe valeu o lugar de destaque junto do seu público.

A todos os meus colegas a quem nos impuseram o título de “influenciador digital” deixo um sincero apelo. Valorizem-se. É o vosso estilo de escrita, formato de vídeos e, acima de tudo, a personalidade de todo e cada um de voz que nos torna tão apetecíveis. Afinal de contas, somos ou não a balança entre o público e as marcas?

Outros temas relevantes:

Crime Cibernético: Ameaça é real para empresas portuguesas

OUKITEL K6000 Plus: Smartphone em conta ou Powerbank eficaz?

A popularidade do Apple iPhone é cada vez maior!

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).