Huawei quer surpreender com a nova bicicleta elétrica autónoma

Rui Bacelar
Comentar

A Huawei estará a trabalhar num novo veículo elétrico autónomo. Não será, contudo, um carro elétrico como seria de esperar, mas sim uma bicicleta elétrica. O fator surpresa? Um veículo de duas rodas que poderá ser usado mesmo sem o ciclista propriamente dito.

O trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelos engenheiros da gigante chinesa mostra-nos agora uma bicicleta elétrica capaz de se sustentar nas mais débeis e escorregadias superfícies. Mas, há mais a ser descoberto para além do óbvio nestas fotografias.

Tecnologia de condução autónoma a ser desenvolvida pela Huawei

Huawei bicicleta elétrica
Demonstração do sistema de auto-equilíbrio da bicicleta elétrica.

O primeiro passo foi a criação e implementação de um sistema de auto-equilíbrio da bicicleta. Acima podemos ver um dos exemplos publicados na Internet em que a bicicleta está apoiada apenas numa vedação particularmente fina ou estreita.

Além disso, a bicicleta elétrica e autónoma da Huawei conta com diversas tecnologias e sensores dignos de nota. Entre estes temos câmaras para reconhecimento da imagem e envolvente, bem como algoritmos de processamento baseados na IA (inteligência artificial) para dar conta dos dados colhidos pelos diversos sensores.

Okay in response to @TubeTimeUS's request, some of my favorite Chinese Makers (the real kind, not the entrepreneurs calling themselves Makers with no technical skills)First up, 稚晖 and his self-driving bicycle, complete (really good) build video here: https://t.co/edjHcPOjUj pic.twitter.com/HyPvkQAszv

— Naomi Wu 机械妖姬 (@RealSexyCyborg) 6 de junho de 2021

Esta conjugação de sensores e tecnologia de processamento de dados permite à bicicleta ser conduzida sem interferência humana. Isto é, estamos perante um veículo elétrico de duas rodas que já estará perfeitamente autónomo.

As bicicletas elétricas são já uma visão comum e este será o próximo passo

Huawei Bicicleta elétrica autónoma
Demonstração do sistema de auto-equilíbrio da bicicleta elétrica.

A "faísca" para o início dos trabalhos neste projeto terá surgido após um acidente de bicicleta sofrido pelo atual engenheiro-chefe do projeto, Zhihui Jun. Com efeito, após tal ocorrência, o engenheiro apercebeu-se do potencial para um tal sistema.

Foi de um infortúnio que surgiu a ideia e interesse para desenvolver um sistema de condução autónomo para bicicletas, para também se aumentar a segurança rodoviária.

Desse modo, a equipa da Huawei terá integrado um sistema de controlo automático, bem como um sensor de perceção em rede, bem como um chip ou processador principal para articular toda a informação recebida.

Antes disso, os engenheiros começaram por conceber virtualmente a bicicleta - em CAD - adicionando-lhe dois motores elétricos sem escova de carvão, bem como um guiador adaptado. Surgia assim o primeiro protótipo físico que desde então seria aperfeiçoado.

Câmaras, motores e até um sensor LiDAR na bicicleta Huawei

Huawei Bicicleta elétrica autónoma
Os vários sensores foram gradualmente adaptados e incorporados na bicicleta.

Ao primeiro protótipo físico foram adicionados vários sensores como uma câmara RGBD para apurar a distância dos objetos, ou câmara de profundidade. Tem ainda um acelerómetro, giroscópio e um sensor LiDAR mais avançado para mapeamento.

A fonte energética reside numa bateria convencional - iões de lítio. Já a sua autonomia com o sistema de condução autónoma estará entre as duas a três horas de operação contínua.

Veja-se o módulo de controlo principal alojado sob o assento da bicicleta. Em destaque está também o sistema de giroscópio para equilíbrio da bicicleta.

Huawei bicicleta elétrica

Tal como aponta a publicação Designboom, entre os componentes de mais difícil criação e implementação está o giroscópio da bicicleta. A sua adaptação a este veículo terá sido uma das etapas mais morosas, mas estará ultrapassada.

Com efeito, é este o componente chave para o equilíbrio do veículo de duas rodas e terá seguido uma conceção similar à que encontramos nos satélites artificiais. Na prática, é um sistema que faz com que a bicicleta nunca caia, mesmo sem apoios.

Tal sistema é capaz de reconhecer as mais ínfimas forças e inclinações, permitindo-lhe manter um equilíbrio estável. O sistema permite assim que a bicicleta se sustente, ao passo que o motor elétrico manterá a bicicleta em movimento mesmo sem pedalar.

O produto é, para já, um protótipo, sendo desenvolvido na China pelos engenheiros da Huawei.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.