Huawei: "Migrar do Android para o nosso sistema HarmonyOS demora apenas uns dias"

Filipe Alves
Comentar

A Huawei revelou de forma oficial o seu novo sistema HarmonyOS. Este novo sistema é desenhado para todos os gadgets que a marca fabrica. Contudo, uma das razões para a sua revelação foi para um dia o sistema HarmonyOS vir a substituir o sistema Android nos smartphones.

Depois do governo americano ter proibido as empresas do país a negociar com a Huawei, a empresa chinesa viu-se obrigada a tentar resolver a situação com as armas que tem. Assim sendo, lançou de forma oficial o seu sistema que já estava em preparação há alguns anos.

Huawei smartphone

Huawei voltou a ser proibida de negociar com empresas americanas

Esta situação voltou a escalar ontem quando Donald Trump, Presidente dos EUA, voltou a afirmar que a Huawei ficará (novamente) proibida de fazer estes negócios com empresas americanas. Isto significa que o sistema Android ficará sem atualizações até que o problema seja resolvido. (Atenção que a próxima atualização do Android Pie não deverá estar dentro deste leque visto que a Huawei já está a trabalhar nele).

O executivo (e CEO do departamento mobile) da Huawei, Richard Yu, referiu que a transição do sistema Android para o HarmonyOS não é um bicho de sete cabeças. "Se o sistema Android nos bloquear, podemos transferir o sistema Android para o Harmony OS de forma muito rápida e conveniente, só precisamos de 1-2 dias para fazer isso… no entanto, considerando a ecologia e os parceiros, os nossos smartphones darão prioridade ao sistema Android”.

HarmonyOS é a resposta ao sistema Android?

Não me parece que a Huawei queira desesperadamente trazer a sua plataforma para os utilizadores. Até porque é uma plataforma nova que só agora é que vai sair para o público em geral na China. Ou seja, terá a sua fase de experiência e feedback.

Ainda assim, a Huawei sabe que não pode depender de um Presidente como Donald Trump. A guerra comercial entre os EUA e a China estão a dificultar as coisas para a Huawei. Visto que é uma das maiores empresas chinesas a operar fora do país, não é de estranhar que Donald Trump ataque a China onde dói.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.