Huawei aborda Audi e Mercedes para investirem em carros inteligentes

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo
Tempo de leitura: 2 min.

A Huawei abordou a Mercedes e a Audi com a proposta de vender pequenas participações em sua empresa de software e componentes para carros inteligentes. A informação foi noticiada pela Reuters, que afirmou ter tido três fontes diferentes que preferiram não se identificar.

Huawei ambiciona tornar-se o principal fornecedor para Veículos Elétricos Inteligentes

huawei
Imagem: Shutterstock / LCV

No mês passado, a Huawei anunciou que destacaria a Intelligent Automotive Solution (IAS) como uma unidade de negócios independente, com o objetivo de torná-la o principal fornecedor de software e componentes para veículos elétricos inteligentes (VEs).

O suposto contacto que a gigante de tecnologia chinesa fez com a Mercedes e a Audi seria mais um passo para o crescimento da IAS, avaliada anteriormente entre US$ 28 bilhões e US$ 35 bilhões.

De acordo com duas fontes, conversas preliminares com a Mercedes nas últimas semanas negociaram a venda de uma participação de 3% a 5% na IAS. A Mercedes, entretanto, teria recusado a proposta por desejar manter o controle do seu software e preservar o seu posicionamento como uma marca premium.

A Audi, segundo duas das três fontes da Reuters, estaria a planear uma parceria com a Huawei para desenvolver tecnologias de condução autónoma para os seus veículos que chegaria ao mercado chinês a partir de 2025.

Até o moment a Mercedes chamou as informações de especulação e não quis comentar. A Audi e a Huawei não responderam a pedidos de comentários.

Huawei pretende expandir parcerias e evitar novas tensões geopolíticas

A tentativa de parceria da Huawei com a Mercedes e a Audi ocorre num momento em que a maioria dos fabricantes de automóveis globais na China está cada vez mais concentrada em estabelecer parcerias com empresas chinesas.

No entanto, a Huawei tem sido alvo de sanções dos Estados Unidos desde 2019. A decisão de expandir suas parcerias para além das marcas chinesas tem como objetivo defender a empresa de potenciais novas tensões geopolíticas com a presença de investidores estrangeiros.

De acordo com Richard Yu, que supervisiona o negócio de carros inteligentes da Huawei, tem sido difícil para as empresas europeias, norte-americanas e japonesas escolherem a Huawei como seu principal fornecedor de soluções inteligentes devido às sanções dos EUA.

Atualmente, a Huawei já formou parcerias com fabricantes menores de carros elétricos, como o Seres Group, e algumas grandes fabricantes mais antigas, como Chongqing Changan Automobile.

A Changan Auto já afirmou que tem planos de ser um investidor no negócio de carros inteligentes da Huawei assim que for destacado da empresa, detendo até 40% junto com partes relevantes.

Em novembro, Yu revelou que a Huawei havia convidado também para investir na IAS as empresas Chery Automobile, Jianghuai Automobile Group, BAIC Motor e FAW Group.

Editores 4gnews recomendam:

Sabryna Esmeraldo
Sabryna Esmeraldo
Jornalista há mais de 10 anos, a Sabryna especializou-se a produzir conteúdos e tutoriais sobre aplicações e tecnologia. Consumidora de streamings e redes sociais, adora descobrir as novidades do mundo.