Google Home e Amazon Echo podem ser hackeadas com um simples laser! (vídeo)

Filipe Alves
Comentar

A Google Home e Amazon Echo, mais conhecida por Alexa, são ferramentas cada vez mais utilizadas em todo o mundo. As assistentes virtuais são capazes de fazer tarefas do quotidiano de uma forma simples e eficaz.

Já há alguns anos que uso Google Home e tenho de admitir que gosto de colocar filmes ou séries na Netflix na minha televisão através de voz, ou até comandar as luzes da minha casa. Ainda assim, há quem a use, por exemplo, para portas da garagem. É aqui que o estudo Universidade de Michigan e University of Electro-Communications de Tóquio dão o exemplo de quão frágeis estes sistemas são.

Um vídeo que esclarece como a Google Home e Echo são hackeadas à distância

Para que os sistemas sejam hackeados, os hackers precisam apenas de um laser de 60 milliwatt e transformar a "luz" em "som". Algo que, por incrível que pareça não é assim tão complicado.

Na demonstração eles apontam um laser para o microfone da Google Home e lançam o comando "Ok Google, abre a porta da garagem". A resposta é iminente e temos a porta da garagem a abrir sem grandes problemas.

Os hackers tem de estar a menos de 50 metros da assistente de voz

Contudo, não é fácil para um hacker entrar na tua casa. O Hacker precisaria de acertar com o laser na Google Home a uma distância máxima de 50 metros.

Afastar a Google Home das janelas é uma solução

Google Home

Assim sendo, uma das soluções mais viáveis para os utilizadores mais preocupados seria afastar a Google Home ou Alexa das janelas. Ainda assim, leva-nos a questionar até que ponto é que um ladrão pensaria em fazer isto tudo em vez de tentar entrar pela porta ou partir uma janela.

A principal notícia aqui é que estes sistemas podem ser facilmente hackeados e isto leva-nos a pensar que tipo de tecnologia introduzimos na nossa casa. Depois do esc|ândalo que a Google e Amazon fornecia as gravações dos utilizadores a terceiros para "melhorar o sistema" temos mais um motivo para nos preocupar e evitar este tipo de gadgets dentro da nossa casa.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.