Google faz chegar o seu Fuchsia OS à 1.ª geração do Google Nest Hub

Rui Bacelar
Comentar

O Fuchsia OS começou a fazer manchetes há quatro anos, data das primeiras informações credíveis que davam conta deste sistema operativo. Entretanto, o substituto do Android da Google manteve-se discreto, crescendo gradualmente no seio da empresa.

Agora, em meados de 2021, o Fuchsia OS é aplicado, mediante uma atualização de software, à coluna e ecrã inteligente de primeira geração da Google, o Nest Hub de 2018. No entanto, os dispositivos que já o receberam não apresentam alterações visuais.

O substituto do Android chega agora às Google Nest Hub

O novo software chega assim aos Google Nest Hub, o tablet / altifalante / ecrã inteligente de primeira geração, lançado em 2018. Ainda que no seu interior esteja presente o Fuchsia OS, tal como aponta a publicação 9to5Google, não há mudanças visuais.

No entanto, esta distribuição pode marcar o início de uma distribuição alargada do novo software para mais produtos Google como os seus altifalantes inteligentes. Segundo a publicação, de momento trata-se de uma distribuição de teste (beta) restrita.

Durante os próximos meses, contudo, o Fuchsia OS chegará aos utilizadores inscritos no "Preview Program", a plataforma de testes da Google. Entretanto, está disponível para um número restrito de dispositivos naquilo que será um teste localizado.

O Fuchsia OS chegará a mais dispositivos no decurso dos próximos meses

Google is officially releasing its Fuchsia OS, starting w/ first-gen Nest Hub https://t.co/gPQdqBQ9Fn by @SkylledDev pic.twitter.com/6mkZp4NWRG

— 9to5Google.com (@9to5Google) 25 de maio de 2021

Os utilizadores dos dispositivos Google Nest Hub que tenham recebido a atualização não deverão notar diferenças no aspeto ou menus do dispositivo. De acordo com a fonte, o Fuchsia OS mantém, para já, inalterada a interface da Nest Hub.

Ainda que o impacto visual seja virtualmente nulo, não deixa de ser um marco importante na história do Fuchsia OS. O sistema fez a sua primeira aparição pública na plataforma Github em 2016, não estando adstrito a uma base ou kernel em Linux.

Com efeito, o Fuchsia OS foi completamente concebido pela Google de raiz e poderá ser aplicado a múltiplos dispositivos. Poderemos ver este OS presente em smartphone, computadores portáteis, relógios inteligentes e vários gadgets IoT.

O futuro do Fuchsia OS é incerto

Aliás, podemos vislumbrar no Fuchsia OS uma aplicação abrangente, tal como ambiciona a Huawei para o seu Harmony OS. Estes dois novos sistemas poderão definir o futuro da tecnologia móvel no decurso da presente década.

Resta, contudo, a incerteza sobre os planos da Google para o Fuchsia OS. Não sabemos se este chegará gradualmente a mais altifalantes inteligentes, ou se chega amanhã aos seus smartphones Pixel. Resta-nos aguardar por novas informações.

Poderá este ser um sucessor ou alternativa ao Android? Ou será o Fuchsia OS a natural evolução do sistema operativo do robot verde?

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.