Google em estado de alerta face às capacidades do incrível ChatGPT

Rui Bacelar
Comentar

A Google estará a delinear uma estratégia de emergência para competir com os avanços da inteligência artificia. Em particular da plataforma mais popular da atualidade, o ChatGPT. O sucesso desta IA está mesmo a preocupar a gigante das pesquisas.

A ChatGPT é uma sala de conversação, é um oráculo de respostas, um amigo invisível a quem podes pedir essencialmente tudo. Aliás, provavelmente esse bot escreveria uma peça melhor estrutura que este vosso autor.

Bom, não tenho dúvidas que o consiga fazer, otimizando inclusive os parâmetros necessários para "mimar" o motor de busca do Google e entregar ao leitor a mensagem perfeitamente formatada para ser lida no ecrã dos smartphones.

A Google precisa de encontrar rapidamente uma resposta para a ChatGPT

I've been trying out #ChatGPT, as you can see in this video. This year saw #AI, or rather deep learning, one of the most promising AI technologies, come of age. Let's use these advancing technologies to create more open and competitive economies. pic.twitter.com/I5NgFwKxHG

— Ana Botín (@AnaBotin) 20 de dezembro de 2022

Conforme avança a peça do The New York Times, o ChatGPT começou por suscitar a curiosidade da gigante tecnológica, só para agora fazer soar todos os alarmes. Isto porque a empresa terá decidido canalizar vários esforços e alocar vários dos seus departamentos a "desenvolver e lançar novos produtos e protótipos de IA".

A peça é bem clara, pelo menos na minha opinião. A Google sente-se ameaçada pelos fortes avanços da OpenAI. Em causa está a capacidade da ChatGPT responder a perguntas cada vez mais complexas, de modo fluído, articulado e cada vez mais reais.

Empresa de Sundar Pichai precisa de um produto similar, e rápido!

ChatGPT is scary good. We are not far from dangerously strong AI.

— Elon Musk (@elonmusk) 3 de dezembro de 2022

Para a empresa liderada por Sundar Pichai este foi o "alerta vermelho", o momento em que os alarmes começaram a soar nas altas cúpulas daquela que é uma das maiores empresas do mundo. Ninguém ficou indiferente a este fenómeno que continua a crescer.

Note-se ainda que a Google também tem tecnologia que permite criar um assistente ao estilo do ChatGPT. Em causa está a plataforma LaMDA, que motivou, inclusive, que um investigador fosse afastado ao acreditar que o sistema tinha ficado auto-consciente.

Todavia, apesar de a Google ter anunciado esta plataforma LaMDA há mais de um ano, desde então não disponibilizou nenhum produto para o público. Aliás, nem sequer tirou partido das suas capacidades para reforçar a sua Assistente Google.

O ChatGPT é essencialmente uma ferramenta desenvolvida a partir da plataforma OpenAI, bem familiar da Google. Desde então, o ChatGPT já mostrou uma incrível capacidade para se tornar no fenómeno do momento e responder às mais variadas perguntas dos utilizadores.

ChatGPT está cada vez mais inteligente e a Google sabe disso

Por outras palavras, este ChatGPT é, em parte, aquilo que uma assistente virtual deve ser. Algo útil, pragmático e que nos dá respostas concretas, completas e cada vez mais credíveis. Dito isto, é apenas normal que a Google se sinta ameaçada pelo crescimento desta IA, bem como das suas capacidade como a linguagem natural.

Face ao exposto, acreditamos que a Google canalize grande atenção, tempo e capital para esta área da IA e respetivas aplicações. É assim, bastante provável, que na próxima conferência anual da empresa, a Google I/O 2023, tenhamos mais novidades neste sentido, com um produto similar a ser praticamente uma certeza no rol de apresentações.

Note-se que foi precisamente na Google I/O 2022 que a empresa de Sundar Pichai apresentou a LaMDA. Porém, nada fazia prever que a própria empresa não tirar grande partido desta tecnologia e que fossem terceiros a viralizar esta plataforma.

Seja como for, não tenho a menor dúvida que em 2023, a inteligência artificial será um dos vetores de inovação e crescimento do setor tecnológico. As suas melhorias serão tão assustadoras como fascinantes e mal podemos esperar por isso mesmo!

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com a atualidade tecnológica na 4gnews. Email: ruibacelar@4gnews.pt