Home LifeStyle

Afinal o que se passa com o Facebook e com a Cambridge Analytica?

Afinal o que se passa com o Facebook e com a Cambridge Analytica?
Christopher Wylie e Mark Zuckerberg | Imagem “The Guardian”

Christopher Wylie, antigo funcionário da Cambridge Analytica está nas notícias em todo o mundo. O Facebook está a ser chamado à razão novamente devido às palavras do jovem. Mas afinal o que se passa? Porque é que esta notícia é assim tão importante?

Christopher Wylie trabalhava para Cambridge Analytica quando a empresa foi contratada por Donald Trump na altura das eleições dos Estados Unidos. As mesmas eleições onde as palavras “Fake News” foram proferidas vezes e vezes sem conta.

Vê ainda: Depois da Google, Twitter quer proibir publicidade de criptomoedas

Christopher decidiu contar a história de uma empresa que alegadamente acedeu aos dados de mais de 50 milhões de pessoas no Facebook. Desde gostos, interesses e até mensagens privadas.

O jovem contou ao “The Guardian” uma história quase inacreditável. Referiu que quando trabalhava na Cambridge Analytica utilizou dados de milhões de pessoas para criar uma “arma” capaz de moldar a cultura. Consequentemente, mudar a mentalidade da população e as votações dos Estados Unidos.

Facebook e Cambridge Analytica estão sob pressão depois desta história

Segundo o jovem, Cambridge Analytica utilizou uma aplicação do Facebook que bastava uma pessoa instalar e conseguiam ter todas as informações não só dessa pessoa, como te toda a sua rede de amigos. Informações privadas e públicas.

Imagina que és meu amigo no Facebook e por algum motivo eu instalava uma aplicação no Facebook (tipo um jogo ou algo do género), essa aplicação iria retirar todas as minhas informações e todas as tuas, mesmo que não tivesses instalado alguma app. Christopher não quis admitir, mas percebe-se que existe informações até das mensagens privadas dos utilizadores.

Ouve a história de Christopher no vídeo abaixo

Mais tarde, estas informações eram trabalhadas de forma a criar um perfil de determinados locais. Este perfil indicaria a outra equipa o que tinha de criar para moldar a sociedade e alternar as suas escolhas.

Imagina que o perfil das pessoas do Estado da Califórnia tinha em comum a frustração do desemprego. A segunda equipa de Cambridge Analytica iria então criar websites e conteúdo na web aparentemente verdadeiro e apontado para esse tipo de pessoas em que falava que as medidas de Hilary eram péssimas para o emprego e as de Tump eram melhores. Assustador não?

Logo depois de Christopher expôr a situação o Facebook disse em público que as alegações não eram verdadeiras e que dão prioridade às informações e privacidade dos utilizadores.

A verdade é que Christopher Wylie logo depois de ter reportado a história viu o seu perfil de Facebook, Instagram e WhatsApp bloqueados. O jovem sofre de uma pressão enorme do público e é garantido que esta história não ficará por aqui.

Isto é o que se passa com a Cambridge Analytica e o Facebook neste momento e tenciono acompanhar em detalhe o desenvolvimento da situação.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Youtube testa uma nova funcionalidade já há muito pedida para web

Huawei P20: Preço dos novos Android terão um gosto amargo

Samsung processada pelo uso indevido da tecnologia sem fios

Fonte

Fundador do projeto 4gnews, sempre olhei para a tecnologia como um pedaço de nós. Desde cedo ligado ao mundo tecnológico, este é literalmente o meu trabalho de sonho. Amante de vinho e apaixonado pelo meu Vit. Guimarães, acredito ainda que todas as nossas acções são o gatilho para o nosso futuro.