Ex-funcionários da Google alegam terem sido despedidos por expressarem a sua opinião

Carlos Oliveira
Comentar

Quatro ex-funcionários da Google anunciaram que irão submeter um processo judicial contra a empresa por violações ao direito do trabalho. Em causa estará o alegado despedimento por serem críticos às práticas da tecnológica.

Segundo a fundamentação deste processo judicial, estes funcionários terão sido despedidos por práticas ativistas. Em causa está a tentativa de mobilização de outros funcionários para protestar contra alguns planos da empresa.

Entre os planos em causa está a tentativa da Google em criar um motor de pesquisa censurado para a China ou a colaboração com o Pentágono. Planos com os quais estes funcionários não se identificavam e isso, aparentemente, custou-lhes o emprego.

Google

Google diz que os despedimentos foram por justa causa

Perante estas acusações, a Google não tardou a dar a sua versão dos factos. De acordo com a empresa, estes funcionários foram despedidos por acederem a informação que não deveriam e que o seu despedimento não foi nenhuma retaliação.

Como seria de esperar, os funcionários em causa rejeitam estas declarações da Google. Eles afirmam ter acedido a informações amplamente disponíveis e que nunca houve nenhuma regra contra essa prática.

Google parece estar a perder a paciência para o ativismo interno

Ao longo dos últimos tempos temos tido indícios de que a Google não está para facilitismos perante críticos internos. A empresa costumava realizar reuniões internas com os seus funcionários para ouvir possíveis queixas que estes tivessem.

Essa prática foi recentemente cancelada, sendo que essas reuniões mensais passarão a ser apenas para discussão de estratégias de negócios. Tivemos ainda um caso em que Sundar Pichai, CEO da Google, criticou abertamente as fugas de informação de que a empresa é constantemente vítima.

Houveram tempos em que a Google era considerada uma das melhores empresas, a nível mundial, para se trabalhar. Contudo, parece que esse estatuto está a desvanecer rapidamente.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.