Este smartphone poderá fazer chamadas ou enviar mensagens com a bateria “morta”

Mónica Marques
Comentar

A Huawei está a preparar o lançamento da série de topo Mate 50 para o próximo dia 7 de setembro e agora começam a ser revelados alguns dos pormenores integrados.

Parece que a nova série Huawei terá uma inovação inesperada: mesmo com a bateria “morta”, o modelo vai conseguir fazer chamadas e enviar mensagens de texto.

Novo recurso inovador chega através do HarmonyOS 3.0

Huawei P50
O Huawei P50 foi o último topo de gama da marca lançado em 2021 Crédito@Huawei

Todos conhecemos a história das sanções que a Huawei enfrenta no mercado global e também todos temos assistido à estratégia de inovação que a empresa usa para manter-se a navegar nas ondas do mercado.

Neste momento, a empresa prepara o lançamento do seu flagship Mate 50 que deverá chegar ao mercado chinês no próximo dia 7 de setembro e, consequentemente, começam a ser divulgadas algumas das suas especificações e recursos.

O último rumor, avançado na rede social chinesa Weibo, dá conta de que o terminal pode ter capacidade para fazer chamadas e enviar mensagens, mesmo quando a bateria está “morta”.

Infelizmente, o utilizador da rede social chinesa não explica o funcionamento deste recurso. Alguns especialistas do mercado estão a avançar que talvez algumas células das baterias possam ser preservadas para esta situação ou, em alternativa, o terminal incluir uma pequena bateria que seria acionada, no caso de a bateria principal ficar esgotada.

Neste momento apenas se sabe que o recurso fará parte do sistema operativo HarmonyOS 3.0 e que virá pré-instalado no novo Mate 50 da marca chinesa.

A Huawei não está propriamente a inventar a roda, mas está a inová-la. Tanto o iOS como o Android permitem atualmente escolher um modo de poupança de autonomia; basta que o utilizador navegue até às configurações, selecione a opção bateria e, no caso do iOS, selecione modo de baixa potência, enquanto que no Android terá de escolher a opção protetor de bateria.

Na verdade, a opção Huawei a confirmar-se verdadeira é um pouco mais completa que as atuais dos smartphones Android e Apple e, seguramente, numa situação de aflição poderá ajudar mais.

Huawei Mate 50 pode integrar chip Qualcomm em vez de Kirin

Entretanto, outros rumores relacionados com o novo Mate 50 dão conta de que o modelo poderá integrar o processador Snapdragon 888, limitado a comunicações 4G, em vez do Kirin 9000S, proprietário da Huawei.

As mesmas fontes avançam que o Mate 50 irá também integrar um ecrã OLED com 6,38 polegadas com resolução Full HD+ e uma taxa de atualização de 120 Hz.

De resto, o modelo vai contar com 8 GB de memória RAM e 128 ou 256 GB de armazenamento interno, além de um sensor principal com 50 megapixéis de resolução.

Outras fontes estão ainda a avançar que será na série Mate 50 que a Huawei vai apresentar e incluir a sua nova divisão de fotos, designada por X Mage que virá substituir a Leica, presente em modelos anteriores.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.