Samsung Galaxy Note 7 4gnews

Ainda há pouco tempo a Samsung tinha anunciado um processo de recolha global de todos os Galaxy Note 7 provenientes dos lotes iniciais, fatalmente marcados por uma falha nas suas baterias. Processo esse que terá custado uns impressionantes mil milhões de dólares e hoje, após várias fontes confirmarem a notícia, a Samsung terá posto um fim a este equipamento.

Vê ainda: Trágico final para o Note 7, o que poderá a Samsung fazer para reverter a situação?

   

Chega assim ao fim a curta vida do Galaxy Note 7, um equipamento tão promissor mas cuja sucessão de acidentes levou a que a marca tomasse uma decisão corajosa. Cancelar, por fim, parar a produção e impedir que mais unidades saiam dos seus armazéns. Isto para que a imagem da marca não fique permanentemente manchada pelas sucessivas explosões que têm assombrado este Galaxy Note 7.

Este anúncio de descontinuação permanente do Galaxy Note 7 implicará prejuízos na ordem dos 17 mil milhões de dólares para a Samsung, uma notícia que nos chega um dia após as vendas terem sido interrompidas globalmente para este equipamento malfadado.

De acordo com a agência Reuters (fonte) que contactou alguns analistas de mercado, os prejuízos desta decisão rondarão os 17 mil milhões de dólares, um valor astronómico que se baseia no cancelamento das vendas de 19 milhões de unidades do Galaxy Note 7 durante o seu tempo de vida útil. Um aumento significativo nos prejuízos face ao valor inicialmente apontado de 5 mil milhões de dólares causados pelo processo de recolha. Já para não falar dos custos que a marca terá em livrar-se (reciclar) as unidades já produzidas.

Com o anúncio oficial do fim do Galaxy Note 7 a Samsung irá perder os lucros das vendas de um topo de gama, para além das compensações que terá de conceder às operadoras, lojas e intermediários, entre outros. É certo que a Samsung pode minimizar as perdas com as vendas dos equipamentos de gama média e gama-baixa mas sabemos bem que o lucro está na venda dos topos de gama e adivinham-se tempos difíceis no seio da marca sul-coreana.

Adeus Note 7, a tua ausência será sentida.
Adeus Note 7, a tua ausência será sentida.

O verdadeiro estrago causado pelo Galaxy Note 7 só será revelado com o passar do tempo mas, segundo a Reuters, a decisão de aniquilar o Note 7 foi inteiramente devida ao esforço de contenção para que a imagem da marca não fosse, ainda mais, afectada e associada às explosões. Uma decisão fria, corajosa, racional e essencial!

Em suma, uma coisa é certa, a Samsung tem poder económico e margem de manobra para ultrapassar este fiasco, sim, podemos chamar-lhe isso, o Galaxy Note 7 foi um fiasco e poderá resultar na perda de 85% dos lucros do departamento Mobile da marca para o presente período fiscal, percentagem que poderá ainda aumentar e assumir proporções mais nefastas para a Samsung.

Facilmente nos apercebemos de que se tal fiasco ocorresse no seio de outra construtora, veja-se a debilitada HTC, a temerária Sony e a corajosa LG, isto poderia ditar o fim das aventuras destas construtoras no segmento dos dispositivos móveis dado que os prejuízos para a Samsung são, de facto, astronómicos e poucas são as marcas que conseguiriam recuperar de tamanha derrota, mesmo que precise de vários meses, ou anos, para recuperar integralmente deste fiasco.

Acham que a Samsung tomou a decisão certa? 

Talvez queiras ver:

Câmaras dos Google Pixel e Pixel XL não possuem OIS por já serem boas em condições de pouca luz

Xiaomi Mi Max Prime é discretamente anunciado oficialmente

Afinal o ecrã do Samsung Galaxy Note 7 não risca assim tão facilmente

ViaWall Street Journal
FonteReuters
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).