Disney+ vai ultrapassar a Netflix até 2026 graças a este país!

Rui Bacelar
Comentar

O serviço de streaming de filmes e séries da Disney, o Disney Plus, deve ultrapassar a Netflix em número de subscritores no espaço de 5 anos. As previsões foram avançadas pela Digital Tv Research, agência de análise de mercado especializada neste ramo.

De acordo com a análise, até 2026 a Netflix deverá ser ultrapassada pelo Disney Plus, com este último a obter até 294 milhões de utilizadores, ao passo que a atual líder de mercado chegará aos 286 milhões de assinantes na sua plataforma.

O serviço Disney Plus é a plataforma de streaming em maior crescimento

Disney Plus
A série "The Mandalorian" é um dos sucessos da Disney+

O relatório da Digital Tv Research foram divulgados na passada segunda-feira (15/2) após a plataforma ter dado a conhecer os números do último trimestre, tendo atualmente mais de 94,9 milhões de subscritores com sólidas perspetivas de crescimento.

Com efeito, a empresa definiu a meta de 230 a 260 milhões de subscritores até 2024, um objetivo audaz que encontra fundamento na grande capacidade de produção de conteúdos pela Disney, detentora de vários estúdios e canais de produção como a Fox.

Ao mesmo tempo, também a HBO reforça a sua aposta, tendo já dado a saber que ira expandir-se através do HBO Max - a chegar a Portugal no final de 2021. Já a Disney, com os serviços Disney+ e o Star continuará a crescer nos mais variados mercados.

A Índia será crucial para a Disney+ ultrapassar a Netflix

De acordo com o estudo da Digital Tv Research, a Índia dará à Disney a coroa de maior plataforma de streaming. Seguindo as suas previsões, será o único país em que os serviços da Disney terão mais subscritores que a Netflix.

Os dados apontam um total de 98 milhões de assinantes para a Disney, face aos 13 milhões da Netflix. Por outro lado, apesar de ter mais subscritores, o estudo aponta que será a Netflix a auferir as maiores receitas.

Na prática, a Disney+ poderá faturar até 20,76 mil milhões de dólares em 2026, ao passo que a Netflix faturará perto do dobro, ou seja, 39,52 mil milhões de dólares.

Vemos, portanto, que mais subscritores não equivalem necessariamente a maior lucro. Os planos de preços de ambas as plataformas e abordagens ao mercado deverão ser bem distintos, algo ilustrado pelas previsões de lucros.

A Disney+ tinha 85 milhões de subscritores 1 ano após o lançamento

Disney+

Os doze meses que se seguiram ao lançamento da plataforma de streaming de filmes e séries resultaram em mais de 85 milhões de assinantes da Disney+. Por outras palavras, este serviço é uma aposta ganha, mas urge agora apostar na criação de conteúdos.

Tendo já um catálogo recheado com as produções Marvel, toda a biblioteca de filmes do universo Star Wars e os Simpsons, há muito mais a ser feito e ganho pela plataforma da Disney para granjear a preferência do público mais adulto.

Para tal, a Disney+ aposta também nas produções e conteúdos da National Geographic, mas com poucas séries, dramas e demais programas de televisão criados para esta faixa etária. A partir de 2021, no entanto, este cenário deverá mudar.

Wanda Vision é uma das novas e melhores séries da Disney+

A aposta em séries do universo expandido da Marvel são também uma aposta ganha deste rival da Netflix. Títulos como a série Wanda Vision atraem novos subscritores na faixa etária que a plataforma quer efetivamente cativar.

A propósito, algumas estimativas apontam mais de 100 milhões de subscritores da Disney+ graças ao sucesso da Wanda Vision, série que estreou após o apuramento do número de subscritores para o último trimestre fiscal.

Desse modo, com mais séries e produções do universo Marvel a caminho, uma das próximas a focar-se na personagem Loki, continuaremos a ver um crescimento saudável na Disney+.

Até 2026, contudo, a plataforma terá que competir também com a Amazon Prime Video, bem como as produções atuais e futuras da líder de mercado, Netflix.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.