Cuidado! Descoberto esquema fraudulento na App Store que lesou milhões de utilizadores

Carlos Oliveira
Comentar

O programador Kosta Eleftheriou revelou recentemente um inusitado esquema de fraude a decorrer na loja de aplicações App Store. Tratam-se de aplicações de streaming de vídeos que se disfarçam de apps legítimas para ludibriar milhões de utilizadores Apple.

Este é o típico esquema fraudulento que vimos repetidas vezes no universo Android e ao qual a loja de aplicações da Apple parecia ser imune. No entanto, prova-se agora que o sistema de verificação de aplicações da americana também tem as suas falhas.

Mais de dois milhões de utilizadores já caíram neste esquema

Segundo os dados revelados por Kosta Eleftheriou, as aplicações maliciosas em causa já contabilizam mais de dois milhões de instalações. Estas lucram, em média, 16 mil dólares por dia, o que se traduz num lucro total a rondar os 6 milhões ao ano.

App Store

De acordo com os dados revelados pelo The Sun, estas aplicações prometem apresentar trailers de filmes prestes a serem lançados. Ademais, algumas disfarçam-se de filtros que poderás aplicar nas tuas fotografias.

Tal como é habitual nestes esquemas, as aplicações inscrevem os utilizadores em serviços premium sem o seu consentimento. O resultado são faturas mensais por serviços inexistentes, gerando assim o lucro já mencionado.

Conseguem-no ao ludibriar os utilizadores a introduzir códigos nas aplicações ou à sua partilha para o desbloqueio de funcionalidades exclusivas. Um método que também serve de promoção a estas aplicações maliciosas.

Para alargar ainda mais o seu espectro de influência, foram utilizados vários influenciadores digitais. Estes promoveram estas apps maliciosas junto dos seus milhões de seguidores, levando-os a acreditar na legitimidade das suas promessas.

Este esquema mancha a imagem da Apple

A imagem da Apple sai, inegavelmente, lesada com a divulgação deste esquema fraudulento. Em primeiro lugar, pela aparente ineficácia do seu sistema de avaliação de aplicações candidatas a entrar na App Store.

Aliás, esta notícia fragiliza ainda mais este sistema de triagem que já foi criticado internamente pelo diretor do serviço antifraude da Apple. Eric Friedman chegou a classificar este sistema como "mais parecido com a senhora bonita que te cumprimenta no aeroporto havaiano do que com o cachorro farejador de drogas".

Em segundo lugar, temos as habituais taxas de 15% ou 30% que a Apple cobra sobre todas as transações feitas na sua loja de aplicações. Ou seja, também a Apple lucrou milhões com as receitas geradas por este esquema fraudulento.

Infelizmente, este não é o primeiro caso de fraude descoberto no universo da App Store. No início de 2021, o mesmo Kosta Eleftheriou denunciou a aplicação StringVPN como um serviço fraudulento que terá gerado receitas de um milhão de dólares por mês.

Perante estas descobertas, é imperativo sensibilizar os leitores para a leitura dos comentários antes de instalar uma aplicação nova no seu iPhone. Tal como defende Kosta Eleftheriou, essa leitura seria suficiente para impedir que mais utilizadores caíssem neste conto do vigário.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.