Confirmado! Huawei P40 vai revolucionar as baterias dos smartphones

Bruno Coelho
1 comentário

Depois de termos falado de um rumor há alguns dias, eis que volta a surgir uma informação que nos dá conta de que o Huawei P40 pode mesmo vir a ser o primeiro smartphone do mundo com bateria de grafeno.

Segundo avançam alguns órgãos de comunicação social como o PhoneArena, a conta do Twitter da Huawei França terá feito uma publicação que confirma este rumor. O tweet em questão terá sido imediatamente apagado, mas ‘uma vez na internet, para sempre na internet’.

Huawei França terá confirmado bateria de grafeno nos Huawei P40

A verdade é que não somos especialistas em francês, mas as palavras ‘batterie’ e ‘graphene’ saltam imediatamente à vista. Na alegada publicação foi escrito “O próximo topo de gama da Huawei, o P40, vai ter uma bateria de grafeno".

A Huawei França congratula-se mesmo, na publicação, por vir a ser a primeira empresa a fazer chegar ao mercado um topo de gama com uma bateria de grafeno. Além disso, é também visível que o dispositivo vai carregar a sua bateria dos 0 aos 100% em 45 minutos.

Colocamos reservas à veracidade deste tweet, mas se tal tiver mesmo sido partilhado, é certo que a Huawei volta a estar na linha da frente da inovação. E tendo em conta que se tem escrito que o P40 Pro terá uma bateria de 5000mAh, usando uma bateria de grafeno também lhe vai permitir ocupar 30% a menos de espaço que uma bateria de lítio.

As vantagens do grafeno

O grafeno é visto como um material revolucionário no segmento das baterias. Este promete carregamentos significativamente mais rápidos, uma maior duração e ainda um espaço físico menor a ser ocupado pela bateria.

Editores 4gnews recomendam:

  • Huawei prepara telemóvel com tripla câmara rotativa!
  • Huawei vende 230 milhões de smartphones em 2019, afirma CEO
  • Huawei P40 Pro terá uma das melhores câmaras para zoom
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.