fonte: depositphotos
fonte: depositphotos

No mundo das comunicações sem fios tudo se transfere pelo ar e, apesar de invisível, todos nós conhecemos a importância das ondas de rádio no nosso dia-a-dia. Todos os smartphones emitem radiação mas, regra geral, desconhecemos as quantidades em que estas são emitidas, sendo o seu excesso possivelmente nocivo para a saúde humana. Pois bem, a Apple tem alguns conselhos e recomendações de utilização para que os seus novos iPhone 7 e iPhone 7 Plus não te afectem.

Vê tambémPróximos Apple iPhone poderão vir equipados com câmaras 3D

Pois bem, na nossa sociedade, a radiação emitida pelos smartphones, sejam eles iPhones ou Android’s, para uns pode influenciar o desenvolvimento do cancro no cérebro, já para outros é apenas um mito urbano. Contudo, uma breve pesquisa mostra-nos logo várias provas de que a radiação emitida pelos nossos companheiros inseparáveis pode ser, em casos extremos, extremamente nociva para a saúde.

   

iphone-7-plus-4gnews-e-iphone-7

Pode ler-se, na página da Apple relativa às informações sobre exposição de radiofrequência do iPhone 7 e iPhone 7 Plus:

“A taxa de absorção específica (TAE) mede o ritmo a que o corpo absorve energia de RF. O limite de TAE é de 1,6 watts por quilograma em países com o limite calculado em 1 grama de tecido e de 2 watts por quilograma em países com o limite calculado em 10 gramas de tecido. Durante os testes, os rádios do iPhone são ajustados para os níveis máximos de transmissão e colocados em posições que simulam a utilização encostados à cabeça, sem distância intermédia, e perto do corpo, a 5 mm de distância.
Poderão aplicar-se limites de TAE adicionais, consoante as dimensões do dispositivo.

Para reduzir a exposição à energia de RF, utilize uma opção de mãos-livres, como a funcionalidade de alta-voz, os auscultadores incluídos ou outros acessórios semelhantes. Transporte o iPhone 7 e iPhone 7 Plus a, pelo menos, 5 mm de distância do corpo, para garantir que os níveis de exposição permanecem dentro dos valores testados ou abaixo dos mesmos. As capas com partes metálicas podem alterar o desempenho do dispositivo em termos de RF, incluindo a respetiva conformidade com as normas de exposição à RF, sendo que a sua influência não foi testada nem certificada.

Vê também: Apple vs Android: Serão os utilizadores de iPhone mais desonestos?

Apesar de este dispositivo ter sido testado de forma a determinar o nível de TAE em cada uma das bandas operacionais, nem todas as bandas se encontram disponíveis em todas as áreas. As bandas dependem das redes de cada fornecedor de serviços de telecomunicações móveis."
Os limites de TAE mais elevados são os seguintes:

iPhone 7 modelo A1778

  • Limite de TAE: 1,6 W/kg (mais 1 g)
  • Cabeça: 1,19
  • Corpo: 1,19
  • Limite de TAE: 2,0 W/kg (mais 10 g)
  • Cabeça: 1,38
  • Corpo: 1,34

iPhone 7 Plus modelo A1784

  • Limite de TAE: 1,6 W/kg (mais 1 g)
  • Cabeça: 1,19
  • Corpo: 1,19
  • Limite de TAE: 2,0 W/kg (mais 10 g)
  • Cabeça: 1,24
  • Corpo: 1,00

Em suma, se tiveres um Apple iPhone 7 e iPhone 7 Plus o melhor é não passar horas ao telefone com o equipamento encostado à cabeça. Caso utilizes capas de proteção metálicas pensa duas vezes e mais vale trocar por uma equivalente em silicone ou em cabedal. E como bem sabemos, mais vale prevenir do que remediar, seja o teu equipamento um iPhone ou um Android.

Talvez queiras ver:

LG G6 poderá chegar com bateria removível 
Publicidade da Apple mostra-nos o que é o Natal para além da tecnologia
iPhone 8, iPhone 7s e iPhone 7s Plus: Os smartphones Apple para 2017?


ViaAndroidPit
FonteApple

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).