Apple tem nova fonte de rendimentos capaz de superar o iPhone

Rui Bacelar
Comentar

Em 2021 a Apple ganhou mais de 165 milhões de subscritores para os seus vários serviços integrantes do ecossistema da empresa. É um resultado extremamente animador para Tim Cook que continua à procura de novas formas para mitigar a dependência da empresa nas receitas geradas pelos telefones Apple iPhone.

Vemos, com efeito, a transição gradual de uma empresa focada na venda de produto, para um equilíbrio com a venda de serviços baseados no modelo de subscrição. Em síntese, uma fonte mensal de rendimentos com as assinaturas pagas em serviços como o Apple Música, iCloud, Arcade, Apple TV+ e Arcade.

Serviços Apple cresceram em todo o mundo durante o ano de 2021

Serviços Apple

Os resultados foram apresentados durante a última reunião da Apple versando sobre os resultados fiscais. Aí, o CFO e vice-presidente sénior da Apple, Luca Maestri afirmou que este crescimento foi consistente e global ao longo de 2021.

"Foi um novo recorde para serviços como a iCloud, para o Música, para vídeo, para publicidade e respetivos dispositivos. Portanto, obtivemos um resultado superior ao inicialmente previsto no início do último trimestre de 2021!, apontou Luca Maestri.

Mais 165 milhões de assinantes para os serviços Apple em 2021

Apple serviços
Fonte: Malcolm Owen com base nos indicadores da Apple.

O crescimento sustentado dos serviços Apple torna esta vertente cada vez mais rentável. Aliás, atualmente a gigante de Cupertino tem mais de 785 milhões de subscritores para os seus serviços pagos, com um aumento de 165 milhões nos últimos 12 meses.

Trata-se de um crescimento sólido para esta vertente da empresa que pode, a seu tempo, afirmar-se como fonte equiparável aos Apple iPhone, objetivo que aliviaria parte substancial da dependência das receitas geradas pela venda de produtos.

Tim Cook olha com interesse para o Metaverse e as aplicações RA

Tim Cook says Apple sees metaverse potential, is 'investing accordingly' https://t.co/36b1JCvVjH

— AppleInsider (@appleinsider) 28 de janeiro de 2022

Foi durante essa mesma reunião que Tim Cook também foi questionado sobre o envolvimento da Apple no "metaverse". A resposta de Cook denotou o seu interesse pela Realidade Aumentada (RA), algo que o executivo nunca escondeu.

Por outro lado, Cook não mencionou especificamente este novo vetor de interesse da empresa de Mark Zuckerberg, ainda que implicitamente a menção esteja lá.

As palavras de Cook foram "Nós (Apple) somos uma empresa dedicada à inovação. Temos mais de 14 000 aplicações de Realidade Aumentada na App Store".

Por fim, Cook acrescentou que a Apple vê grande potencial no espaço apelidado de metaverse e está a "investir de acordo". Um dos exemplos é a sua implementação dos sensores LiDAR nos smartphones Apple iPhone 13 Pro e iPad Pro, por exemplo.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com