Apple paga milhões a estudante após fotos íntimas caírem na net

Paulo Montenegro
Comentar

A Apple protagonizou mais uma polémica após dois funcionários da Pegatron, uma de suas parceiras, terem publicado na web fotos íntimas encontradas em um iPhone que havia sido encaminhado para reparo.

Como resultado, a gigante foi condenada a pagar milhões de dólares de indemnização a uma estudante de 21 anos que residia em Oregon (Estados Unidos).

O telemóvel havia sido enviado para um Centro de Reparo Autorizado na Califórnia, administrado pela Pegatron, onde dois empregados tiveram acesso ao conteúdo armazenado, incluindo as fotos em questão.

Eles publicaram o material no Facebook caracterizando o que pode ser considerado como uma das maiores falhas de privacidade já ocorridas em um centro de reparos do iPhone.

Indemnização sob confidencialidade

O valor total da indemnização não foi divulgado, mas um artigo publicado pelo The Telegraph menciona uma quantia multimilionária. Os advogados da vítima teriam exigido pelo menos US$ 5 milhões em negociações e ainda ameaçaram processar a Apple por invasão de privacidade e sofrimento emocional.

A empresa de Tim Cook optou por resolver o caso e incluiu no acordo uma cláusula de confidencialidade que proíbe que o assunto seja discutido tão pouco a quantia paga seja divulgada.

O assunto só veio à tona devido à uma disputa legal entre Pegatron e suas seguradoras, pois a primeira precisou reembolsar a Apple pelo acordo, porém, as seguradoras recusaram-se a cobrir os custos. A Apple foi mencionada em um processo da Pegatron contra estas empresas de seguro, tendo então a necessidade de confirmar o incidente.

Um porta-voz da Apple ressaltou que a firma leva muito a sério a privacidade e segurança dos clientes e segue uma série de protocolos para garantir que estes estejam protegidos durante os processos de reparo.

Apple é uma das empresas que protestam contra a legislação do Direito de Reparo devido à preocupações relacionadas ao acesso das informações dos clientes por terceiros.

Editores 4gnews recomendam: