Apple-Music

Os serviços de streaming de musica começam a ser cada vez mais populares. Uma das coisas que os profissionais da música têm de se mentalizar é com esta realidade e começarem a adaptar-se a ela, por muito que isso lhes custe.

Recordo-me perfeitamente de toda a polémica que envolveu a cantora Taylor Swift e o serviço Apple Music, mas que no final de contas acabou por ganhar os direitos exclusivos de reprodução de uns dos concertos da cantora. Jogada de marketing? Talvez sim, talvez não, mas a realidade é que surtiu efeito.

   

Seis meses depois de ter sido lançado ao mundo, o serviço Apple Music conta já com 10 milhões de subscritores pagos, isto de acordo com o Financial Times. Quando comparados com a realidade do Spotify, estes números podem ser considerados, à primeira vista, como altamente surpreendentes. Mas existem vários fatores que influenciam este díspar de realidade.

Quando a Apple lançou o Music fê-lo simultaneamente em mais de 100 países, enquanto que o Spotify demorou, por exemplo, 3 anos a chegar ao EUA. Embora o Apple Music não possua uma modalidade gratuita como o Spotify, a gigante de Cupertino oferece aos seus utilizadores 3 meses de experiência e digamos que quem atualizar os seus dispositivos Apple para as mais recentes versões do correspondente sistema operativo são inundados por alusões ao serviço de streaming musical da empresa.

Tudo isto são fatores abonatórios desta realidade e que facilitaram em muito o alcance destes números, em tão curto espaço de tempo. Importa mesmo assim ressalvar que não quero de forma nenhuma diminuir a importância deste feito.

Só a título de curiosidade, o Spotify conta já com 20 milhões de utilizadores pagos, mas o seu verdadeiro nicho de mercado está na modalidade gratuita, estimando-se que ascenda já aos 75 milhões de utilizadores.

Talvez queiras ver:

Viaengadget
FonteFinancial Times
O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.