Apple fortificou o principal ponto de vulnerabilidade em qualquer iPhone

Carlos Oliveira
Comentar

O sistema operativo móvel da Apple - o iOS - é tido pela maioria como o mais seguro do seu ramo. Ainda assim, este não se encontra totalmente imune à prática do hacking, podendo colocar informações pessoais em risco.

A principal porta de entrada para software malicioso no iPhone é o iMessage, porém, este está mais fortificado do que nunca. O lançamento do iOS 14 foi um marco importantíssimo para que esta plataforma de comunicação se tornasse bem mais segura.

Apple melhorou a segurança do iMessage com três importantes medidas

Depois da controvérsia que afetou a segurança dos iPhone´s de dezenas de jornalistas da cadeia Al Jazeera, vários especialistas de segurança debruçaram-se sobre o software da Apple. Foi assim que Samuel Groß descobriu recentemente três grandes melhorias implementadas pela Apple no iMessage.

iPhone 12

A primeira grande medida de segurança notada por Samuel Groß foi a implementação de uma sandbox ou caixa de areia. Este mecanismo cria uma área de quarentena, uma pequena zona isolada da restante informação presente no iPhone.

É neste local que o iMessage procede agora a uma inspeção preventiva de todas as comunicações que recebe. Aqui é despistada a presença de software malicioso antes de este espalhar-se pelo ambiente principal do iOS.

Em segundo lugar, a empresa americana desenvolveu um mecanismo de monitorização para a manipulação da cache partilhada do sistema. Esta modifica a sua posição dentro do sistema operativo com o intuito de dificultar a sua descoberta. Porém, essa localização só se alterava após o reinício do iPhone.

Com a nova implementação feita pela Apple, este mecanismo de monitorização consegue perceber quanto algum software tenta encontrar a localização da cache partilhada. Num caso desse género, o seu posicionamento no iOS é automaticamente modificado, deixando de ser necessário reiniciar o equipamento.

A última novidade surge como uma complementação da anterior. Nesse sentido, a Apple dificultou ainda mais os "ataques à força", que tentam constantemente descobrir pontos de vulnerabilidade para entrar no equipamento.

iMessage

Um exemplo deste cenário é quando a fonte tenta enviar múltiplas mensagens com conteúdo infetado. A partir de agora, o iOS conseguirá detetar esta prática e proteger-se a si e, consequentemente, aos dados do utilizador.

iMessage é o alvo preferido dos hackers no iOS

Não é por acaso que o iMessage colhe a preferência entre os hackers que focam a sua atenção na plataforma da Apple. Em boa verdade, são dois os fatores que destacam esta aplicação: a presença comum nos iPhone´s e a sua natureza.

Sendo um serviço incluído de fábrica em qualquer iPhone lançado no mercado, faz deste o veículo ideal para maximizar o número de vítimas. Segundos os últimos dados da Apple, são mais de 1.65 mil milhões de dispositivos atualmente ativos no mundo.

Adicionalmente, temos o importante facto de o iMessage ser uma plataforma de comunicações. Ou seja, o seu principal objetivo é a disseminação de conteúdo pelos seus utilizadores em todo o mundo.

Na verdade, o utilizador não precisa de carregar em nenhum botão para receber informações de terceiros. Estas podem adquirir diversos formatos, seja ele texto, imagem ou integração com outras aplicações e isso alarga o espetro de possibilidades dos meliantes.

No entanto, fica agora a nota de que esta plataforma de comunicação está mais segura do que nunca. Se por alguma razão ainda não instalaste o iOS 14 no teu iPhone compatível, esta é uma das principais razões para o fazeres imediatamente.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.