Apple demorou uma década para desenvolver o processador M1

Abílio Rodrigues
Comentar

Já ninguém tem dúvidas que os primeiros produtos da Apple equipados com os seus processadores M1 baseados na arquitetura ARM são um sucesso tremendo. A indústria aguarda agora apenas pelas próximas versões do Apple Silicon para perceber todo o potencial destes novos chips, que aparentemente estiveram em desenvolvimento durante 10 anos.

Um antigo engenheiro da tecnológica de Cupertino partilhou recentemente detalhes acerca de todo este longo processo que colocou a Apple no topo da cadeia de desempenho. Os dividendos do seu trabalho são tais que a concorrência parece agora ter de correr atrás para apanhar a empresa de Tim Cook.

Processador M1 é fruto de 10 anos de trabalho

The premise here is wrong. arm64 is the Apple ISA, it was designed to enable Apple’s microarchitecture plans. There’s a reason Apple’s first 64 bit core (Cyclone) was years ahead of everyone else, and it isn’t just caches. https://t.co/8wZxy8c9vr

— Shac Ron ₪ (@stuntpants) 5 de janeiro de 2021

A conversa teve lugar no Twitter depois de Shac Ron ter sido confrontado com a afirmação de que os Mac com M1 são tão poderosos devido à sua gestão de cache. Esta sugestão desvaloriza o efeito da arquitetura ARM e Ron parece não concordar com isso.

O engenheiro revelou que o primeiro processador ARM de 64-bit da Apple foi o A7, lançado em 2013 com uma arquitetura de instruções personalizadas (ISA). Significa isto que a arquitetura ARM64 nasceu bem antes da própria ARM ter colocado o seu design à disposição de terceiros.

ARM designed a standard that serves its clients and gets feedback from them on ISA evolution. In 2010 few cared about a 64-bit ARM core. Samsung & Qualcomm, the biggest mobile vendors, were certainly caught unaware by it when Apple shipped in 2013.

— Shac Ron ₪ (@stuntpants) 5 de janeiro de 2021

Ron chama ainda a atenção para o facto da Apple ter iniciado os seus trabalhos no ARM64 em 2010. Na data do seu lançamento (2013) estava tão à frente do seu tempo que apanhou a Samsung e Qualcomm de surpresa.

A aposta da marca no desenvolvimento da arquitetura ARM implicava o fabrico de processadores onde a contagem de núcleos era favorecida em detrimento da velocidade de relógio. Na altura a ideia seria aumentar essas velocidades de forma progressiva, refinando processos à medida que atingiam objetivos.

Apple evoluiu muito em apenas uma década

Apple planned to go super-wide with low clocks, highly OoO, highly speculative. They needed an ISA to enable that, which ARM provided.M1 performance is not so because of the ARM ISA, the ARM ISA is so because of Apple core performance plans a decade ago.

— Shac Ron ₪ (@stuntpants) 5 de janeiro de 2021

Para termos uma ideia, o A7 tinha 2 núcleos que corriam a 1.3GHz enquanto o atual A14 oferece 6 núcleos a 2.99GHz, para além de um GPU de 4 núcleos e um motor neural de 16 núcleos. Já os Mac com M1 dispõem de processadores com 8 núcleos a correr a 3.2GHz, GPU de 8 núcleos e motor neural de 16 núcleos.

Ou seja, para este engenheiro o desempenho dos Mac com M1 não deriva do conjunto de instruções da arquitetura ARM.

Pelo contrário, Shac Ron acredita que o conjunto de instruções da arquitetura ARM é tão superior graças ao trabalho desenvolvido pela Apple há mais de uma década.

Editores 4gnews recomendam:

Abílio Rodrigues
Abílio Rodrigues
Apaixonado por tecnologia desde que montou o seu primeiro computador, continua em fase lua-de-mel com tudo o que envolva um processador e permita umas sessões videolúdicas.