Apple arrasa concorrência no mercado de relógios inteligentes, aponta a Counterpoint

Rui Bacelar
Comentar

O mercado de relógios inteligentes apresentou um crescimento de 13% entre os meses de janeiro até ao final de março de 2022. As conclusões são agora avançadas pela agência de análise de mercado, Counterpoint, registando o domínio da Apple neste setor.

Em segundo lugar tivemos a Samsung, com a Huawei em terceiro lugar. Logo em seguida, a Xiaomi manteve-se em quarto lugar e apresentando um crescimento sólido na quota de mercado. Estas são algumas das conclusões para o primeiro trimestre de 2022.

O mercado de smartwatches cresceu 13% no 1.º trimestre de 2022

Counterpoint
Variação de mercado entre o 1.º trimestre de 2021 e o 1.º trimestre de 2022. Crédito: Counterpoint

O relatório trimestral da Counterpoint mostra primeiramente um crescimento anual de 13% para o mercado de relógios inteligentes, de 2021 para 2022. Em seguida, constatamos que a Apple não só manteve a sua liderança como também alargou a quota de mercado.

Para além disso, a Xiaomi manteve-se no quarto lugar neste segmento. Todavia, foi a marca que mais cresceu de um ano para o outro, com um aumento anual de 69%. Para além disso, praticamente em todos os trimestres superou os seus valores de vendas.

Por outro lado, face ao trimestre prévio, o último (4.º) de 2021, o mercado registou uma quebra de 24% no volume de vendas. Algo que se deve à quadra natalícia, difícil de igualar em qualquer outra altura do ano.

Xiaomi cresceu 69% entre o 1.º trimestre de 2021 e o 1.º trimestre de 2022

Counterpoint
Variação de mercado entre o 1.º trimestre de 2021 e o 1.º trimestre de 2022. Crédito: Counterpoint

A Apple mantém, e alarga o seu primeiro lugar. Algo que, para Sujeong Lim, diretor associado da Counterpoint pode ser atribuído à lealdade à marca. Um fenómeno sem par junto das demais fabricantes e que ajuda a Apple a cimentar a sua base de utilizadores.

Por outro lado, a Huawei apresentou a quebra mais acentuada, refletindo também o erodir da sua posição nos mercados mundiais. A tecnológica chinesa continua privada dos serviços Google e demais tecnologia norte-americana, pelo que a sua posição deverá manter-se em queda no futuro próximo. Todavia, a Huawei recuperou algum fôlego junto do seu mercado natal, na China.

Além disso, vemos que na maioria das regiões a Europa foi uma das zonas estagnadas, muito em parte devido ao estalar do conflito na Ucrânia. Aliás, de acordo com esta agência o impacto da guerra será particularmente notório durante o 2.º trimestre do ano.

Por fim, apontamos também o crescimento de marcas como a Garmin junto do segmento premium (acima de 500 dólares). Por outro lado, a Fitbit viu a sua quota de mercado diminuir ao não ter colocado novos produtos no mercado após a sua aquisição pela Google e transição para a plataforma Wear OS, ainda por implementar.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com