Patente da Xiaomi promete smartphones com um buraco no ecrã

Filipe Alves

A Xiaomi não era a Xiaomi se não acompanhasse a última tendência do mercado. A Samsung, Huawei e até Nokia já começaram a fabricar smartphones com um buraco no ecrã. Assim sendo, está na hora de vermos a Xiaomi a trabalhar em tal tecnologia.

De acordo com as mais recentes patentes, a Xiaomi já está a trabalhar em buracos no ecrã para os seus smartphones. Estes buracos incorporarão a câmara frontal do telemóvel.

Patente da Xiaomi promete smartphones com um buraco no ecrã

Não é de espantar que a jovem empresa chinesa vá trazer tal tecnologia. Aliás, estava curioso para saber quando é que tal aconteceria. Agora que as patentes são uma realidade, só nos resta saber quais serão os smartphones com tal ideologia.

Xiaomi Mi Mix 3S pode ser o smartphone a receber tal tecnologia

O buraco no ecrã faz com que a notch do smartphone seja removida. Ainda que não seja um enorme fã deste pequeno piercing, tenho de admitir que prefiro ter um buraco para a câmara do que propriamente uma notch.

Visto que a Xiaomi tem investido numa tecnologia de reconhecimento facial 3D, idêntica à Apple, não me parece que o pequeno piercing chegue em smartphones topo de gama da gama "Mi". A não ser que o Xiaomi Mi Mix 3S seja o escolhido para tal.

O Xiaomi Mi Mix sempre nos deu o máximo de ecrã possível. O Mi Mix 3 escondeu as câmaras num slider viciante, porém, não se acredita que a tecnologia seja portada para a geração seguinte. Dessa forma, podemos presumir que o buraco poderá perfeitamente encaixar no Mix ou até nos gama média e equipamentos da submarca Redmi.

Editores 4gnews recomendam:

Mi 9 terá mesmo mais uma câmara que o Mi 8

Nova aplicação da Google transcreve som em texto no teu Android

Motorola Moto Z4 Play vai chegar com câmara de 48MP e muito mais

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.