Huawei Samsung Xiaomi investimento Lei Jun Huawei Android
A empresa fundada em 2010 por Lei Jun tem crescido de forma abismal com vários produtos a serem lançados mensalmente.

A China é atualmente o maior mercado mundial de smartphones e dispositivos móveis segundo a agência IDC. Todavia, apesar das sua escala também ele já apresentava sinais de saturação no último trimestre de 2017. Agora, segundo o mais recente relatório trimestral da agência Canalys, com a excepção da Xiaomi e da Vivo o mercado da China abrandou. A situação torna-se ainda pior para marcas como a Samsung e para os seus terminais Android. Enquanto isso, a Huawei mantém a sua liderança.

Continua a ser o maior mercado mundial de smartphones e dispositivos móveis. Posto isto, não é simples coincidência o facto de grande parte das maiores fabricantes mundiais serem sediadas nesse mesmo país. Todavia, a China está a tornar-se num mercado cada vez mais saturado.

Vê ainda: OnePlus 6 ainda não foi apresentado mas já foi revelado, eis as reações!

Com efeito, os analistas de mercado da Morgan Stanley têm vindo a alertar para o aproximar do ponto de saturação. Tudo isto se deve ao ritmo frenético com que são lançados novos modelos de smartphone Android neste mercado. Mais ainda, com novas fabricantes Android a surgires (e a desaparecerem) cada vez mais rapidamente.

Agora, a agência Canalys partilhou o seu mais recente relatório trimestral no qual está bem latente a queda que já se previa. Em causa estão as unidades de smartphones e dispositivos móveis vendidos na China nos primeiros três meses do ano. Com efeito, os números aqui avançados referem-se aos valores do primeiro trimestre de 2018.

Xiaomi contraria tendência de queda na China, Samsung continua em queda

Neste 1º trimestre de 2018 o mercado sofreu uma quebra de 21% comparativamente ao período homólogo de 2017 (1º trimestre de 2017). Isto significa que na China seriam vendidos menos smartphones. Registou-se uma quebra acentuada com poucas fabricantes a conseguirem crescer. Entre estes escassos exemplos temos a Xiaomi e a Vivo mas no extremo oposto temos a Samsung que continua a definhar na China.

Desde 2013 que não se vendiam tão poucos smartphones na China

Xiaomi Samsung China Huawei Android
O mercado chinês está em queda, atingindo valores inferiores aos de 2013. ©Canalys

Desde 2013 que o volume de smartphones vendidos trimestralmente não caía abaixo das 100 milhões de unidades. Foi uma forte derrapagem que trouxe o maior mercado mundial de smartphones de volta para níveis de 2013. Os sinais de saturação com os smartphones Android são claramente visíveis.

Samsung, Meizu e Gionee em queda para metade do valor registado em 2017

Das 10 maiores fabricantes na China, 9 são fabricantes Android com a Apple e os seus dispositivos iOS em 5º lugar. Mais ainda, destas 10 maiores fabricantes, 8 sofreram uma derrapagem no volume de vendas. Aqui as principais afetadas foram a Samsung, a Meizu e a Gionee.

Com efeito, estas três fabricantes, Samsung, Gionee e Meizu no 1º trimestre de 2018 venderam cerca de metade do valor registado no período homólogo em 2017. Já por outro lado, a Xiaomi e a Vivo registariam um forte aumento nas vendas de ano para ano. Ambas as fabricantes Android saíram-se muito bem neste trimestre

Xiaomi e Vivo contrariam tendência de queda, conseguindo crescer

Xiaomi Samsung China Android Huawei
O mercado chinês está cada vez mais voltado para as 4 principais marcas, Xiaomi, OPPO, Vivo e Huawei.

E ao passo que a situação se degrada para a Samsung neste mercado, o mesmo torna-se mais voltado para as 4 principais fabricantes. Aqui temos a Huawei, a OPPO, Vivo e a Xiaomi, fabricante que mais cresceu durante este trimestre.

Xiaomi cresceu 37% face ao 1º trimestre de 2017, Huawei mantém a liderança

Caso a tendência se mantenha, salienta a Canalys que poderemos ter um mercado oligárquico (dominado por X entidades). É evidente a tendência de crescimento destas 4 fabricantes Android. Aliás, estando este mercado cada vez mais atento às suas marcas em detrimento das fabricantes estrangeiras.

Olhando para o caso concreto da Xiaomi a fabricante Android aumentou o volume de vendas em 37% face ao período homólogo de 2017. Com efeito, em três meses a Xiaomi vendeu 12 milhões de smartphones na China.

Xiaomi mantém o 4º lugar – Android | Apple em 5º lugar – iOS

O crescimento de 37% no volume de unidades vendidas foi o suficiente para garantir à Xiaomi o 4º lugar no mercado chinês. Mais ainda, seria o suficiente para manter a Apple no 5º lugar. Nem mesmo o seu novo iPhone X foi capaz roubar esta posição à Xiaomi.

Samsung NOS Xiaomi Redmi 5 Xiaomi Redmi 5 Plus NOS Huawei
Estes são os novos elementos da linha Redmi. Na China é uma das gamas mais procuradas.

Já por outro lado, apesar de vender mais smartphones durante este trimestre, os lucros da Xiaomi foram muito reduzidos. O grande volume de vendas consistiu em modelos de gama baixa como os Redmi onde as margens de lucro são muito reduzidas.

Atenções concentram-se nas 4 maiores fabricantes Android sediadas na China

Neste momento, salienta a Canalys, a Huawei continua a dominar o panorama, com a Samsung em queda, já fora dos 10 maiores fabricantes na China. Mais ainda, o consórcio da BBK Eletronics (OPPO, Vivo e OnePlus) está em crescendo.

A Canalys refere ainda que neste primeiro trimestre de 2018, 73% de todos os smartphones vendidos são provenientes das 4 maiores fabricantes Android do país. Algo que está a empurrar empresas como a Meizu, Samsung, Smartisan, Red Pepper, a 360 Mobiles para fora do mercado.

Em última análise a Canalys atribui esta quebra no volume de vendas à diminuição nos modelos apresentados nestes 3 meses. Acrescenta ainda que espera ver uma retoma do mercado no 2º trimestre de 2018.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Honor 10 da Huawei pode ser o ‘killer’ do novo OnePlus 6

Xiaomi pausa desenvolvimento da MIUI 9. Estará a MIUI 10 a caminho?

Asus Zenfone 5Z bate o tudo e todos nos resultados do AnTuTu

Fonte |

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).