Windows 11 remove uma opção que muitos utilizadores adoravam

Carlos Oliveira
Comentar

O Windows 11 é um dos lançamentos mais controversos da Microsoft dos últimos anos. Não só pelos milhões de computadores que ficarão de fora, mas também pelas mudanças estéticas operadas no sistema operativo.

Uma delas tem que ver com o novo Menu Iniciar e barra de tarefas, agora alinhados ao centro. As primeiras compilações de teste permitiam alterar esse alinhamento, algo que já não é possível.

Microsoft remove opção para alinhar à esquerda o Menu Iniciar do Windows 11

A infeliz descoberta deu-se na última compilação de testes do Windows 11 no programa Windows Insider. Para descontentamento de muitos utilizadores, a Microsoft removeu a opção para definir um Menu Iniciar semelhante ao do Windows 10.

Windows 11

Esta era uma importante salvaguarda para todos os que não se identificam com a nova barra de tarefas do Windows 11. Para esses, existia uma opção nas Definições que permitia o alinhamento da mesma à esquerda.

Sem nenhum aviso, a Microsoft removeu essa opção das Definições do Windows 11. Significa que os utilizadores terão de conviver com a nova barra de tarefas ao centro, quer gostem dela ou não.

Em boa verdade, há uma forma de ressuscitar um Menu Iniciar como o do Windows 10. Porém, a alternativa envolve mexer no registo do Windows, um processo desaconselhado sobretudo para utilizadores menos experientes.

Por desapontante que possa ser esta notícia, temos de considerar que estamos a falar de uma compilação de testes do Windows 11. Ou seja, é possível que versões posteriores possam restaurar esta opção.

Caso as reações negativas se multipliquem, a Microsoft ainda tem tempo para reverter a decisão e colocar novamente a opção para mudar o posicionamento da nova barra de tarefas. Teremos de esperar por novas versões para perceber se a empresa americana forçará os utilizadores ao novo Menu Iniciar.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.