WhatsApp: 2,2 milhões de portugueses com dados à venda na Dark Web

Rui Bacelar
Comentar

Em Portugal mais de 2 milhões e duzentos mil registos foram afetados com oataqueao WhatsApp. Nos últimos quatro dias, os ficheiros, que incluem códigos de marcação internacional sendo postos à venda pela primeira vez, estão agora a ser distribuídos livremente entre os hackers.

O alerta foi dado pela Check Point Research, agência de ciber segurança que analisou os ficheiros relacionados com os dados de utilizadores WhatsApp à venda na Dark Web.

A agência aponta ainda que a fuga contém 360 milhões de números de telefone de utilizadores do WhatsApp de 108 países.

Ataque pode afetar até 500 milhões de utilizadores do WhatsApp

WhatsApp

Em primeiro lugar, uma vez que os cibercriminosos tenham acesso a números de telefone que depois são vendidos, ataques como vishing ou smshing são suscetíveis de se seguir. Posto isto, importa conhecer os perigos destas metodologias do crime.

O vishing é uma forma de ataque de engenharia social em que uma vítima é enganada a dar informações por telefone, enquanto o smshing é conduzido através de SMS.

Portanto, com milhões de registos disponíveis para comprar, é altamente provável que estes tipos de ataques aumentem.

WhatsApp
Ficheiros do WhatsApp files atualmente disponíveis na Dark Web.

É também possível que os hackers possam aceder a outros serviços online utilizando o número de telefone, o que pode ter consequências mais prejudiciais.

Amazon Prime Day, Black Friday e Cyber Monday foram ocasiões de maior atividade

Mais ainda, a agência encontrou um aumento nos ataques de phishing por volta da época de férias, com um aumento de 17% nos e-mails maliciosos durante a Black Friday e a Cyber Monday.

Este ano, o Amazon Prime Day também registou um aumento de 86% nas mensagens de correio eletrónico de phishing relacionadas com a Amazon.

Mais recentemente, após a fuga de dados do WhatsApp, e dada a época do ano, estas são algumas sugestões simples para se manter em segurança.

1. Certifiquem-se de que o remetente é de confiança. Nunca clicar em ligações de remetentes desconhecidos. Se não tiver o número atribuído a um contacto conhecido e não conseguir verificar a sua identidade, bloquear imediatamente o número.

2. Dirijam-se diretamente à fonte. Se a ligação dentro de uma mensagem WhatsApp aparecer para se ligar a um serviço legítimo que deseja utilizar, vá diretamente para o website da empresa para procurar os produtos e efetuar transações.

3. Não cliquem em quaisquer ligações suspeitas: Se o URL na mensagem parecer suspeito, é provável que o seja. Não clique em nada nem encaminhe essa mensagem para evitar a divulgação de ligações maliciosas a amigos e familiares.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com a atualidade tecnológica na 4gnews. Email: ruibacelar@4gnews.pt