União Europeia vai fazer regressar as baterias removíveis aos smartphones

Carlos Oliveira
Comentar

A União Europeia tem aprovado várias leis que mudam a forma como as grandes empresas tecnológicas devem desenvolver os seus smartphones. Agora, um novo projeto de lei está a ser pensado para fazer regressar as baterias removíveis a esses e outros produtos.

O próximo passo do legislador europeu passa por oferecer ao utilizador o poder de substituir as baterias presentes nos seus equipamentos eletrónicos. As preocupações ambientais também são invocadas para justificar esta decisão.

União Europeia quer baterias substituíveis em dispositivos eletrónicos

O novo projeto de lei da União Europeia está ainda em fase de discussão, mas temos já uma ampla ideia do seu propósito. Este organismo legislador quer que todos os produtos tecnológicos adotem uma bateria que possa ser facilmente substituída pelos utilizadores.

smartphones bateria

O leque de produtos abrangidos pela eventual lei ultrapassa o mercado dos smartphones. Serão também abrangidos baterias de ignição e iluminação de veículos, meios de transportes leves como motas ou bicicletas, veículos elétricos e baterias industriais.

As empresas a operar nestes mercados terão três anos e meio para adotar as imposições colocadas por este documento. No entanto, não será de estranhar que várias empresas ofereçam resistência à adoção destes padrões.

Cada bateria deverá contar com rótulos e códigos QR que ofereçam aos utilizadores informações essenciais como capacidade, desempenho, durabilidade e composição química. Ademais, terão passaportes digitais com informações gerais sobre o modelo.

Economia circular marca presença na nova lei europeia

Tal como já referido, a União Europeia usa o trunfo ambiental para justificar a sua nova proposta de lei. Como tal, exigirá uma forte aposta na economia circular ao tornar obrigatória a recolha das baterias antigas.

Para isso, o órgão europeu define que até 2023 terão de ser recolhidas 45% das baterias utilizadas. Números que sobem para os 63% em 2027 e para os 73% até 2030.

No que concerne aos veículos de transporte leves, as metas definidas são de 51% até 2028 e 61% até 2031. De sublinhar que todas as baterias, incluindo as industriais, terão de ser recolhidas sem custos associados ao processo.

Importa sublinhar que esta lei está ainda em fase de discussão, necessitando ainda de aprovação no Parlamento Europeu e Conselho Europeu. Só após a conclusão destes trâmites é que a mesma poderá entrar em vigor.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.