UFL: o novo jogo que promete destronar FIFA e eFootball

Bruno Coelho
Comentar

O mercado dos jogos de simuladores futebolísticos regista uma bipolarização ao longos dos últimos anos. Em tempos o PES (agora eFootball) foi rei, mas na virada para a PS3 acabaria por ser destronado pelo FIFA, da Electronic Arts, até aos dias de hoje.

Embora seja um claro líder de mercado, o FIFA não é um jogo perfeito. E muitos fãs anseiam por uma alternativa de qualidade, e que não signifique pagar quase 70 € todos os anos por um jogo em que pouco muda. Ao que tudo indica, 2022 poderá ser o ano em que isso acontece.

UFL promete ser gratuito e justo

UFL é o novo jogo criado pela Strikerz Inc., e que está a ser desenvolvido pela Unreal Engine. Este terá lançamento gratuito, e nos últimos dias saiu um trailer onde podemos ter um ‘cheirinho’ do que serão os gráficos e a jogabilidade, com Cristiano Ronaldo em destaque.

Além do craque português, é possível ver que Kevin de Bruyne ou Romeu Lukaku também colaboram com o novo título. O foco estará na criação de clubes, e estará garantida a presença mais de 5 mil futebolistas oficialmente.

Como podes ver no trailer, a amostra parece dar a entender que terá melhores gráficos que o eFootball, e as semelhanças com o FIFA parecem ser muitas. Mas o foco estará nos modos online.

O grande trunfo do UFL será bater-se diretamente com os modos Ultimate Team (do FIFA) e myClub (do eFootball). Será aí que estará a parte lucrativa do jogo, que será lançado “quando estiver pronto” ainda em 2022.

Segundo o que podemos ver deste trailer, estará disponível para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, e Xbox Series X/S. A empresa pretende que este não seja “pay to win”, o que poderá melhorar a sua competitividade.

Sporting CP já tem presença oficial garantida no UFL

Sporting CP, West Ham United, Shakhtar Donetsk, Borussia Mönchengladbach, Mónaco, Besiktas, Celtic e Rangers já foram anunciados como clubes licenciados no jogo.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.