Tribunal decide contra FBI após investigação sem mandato

António Guimarães
Comentar

Conforme avança o Ars Technica, um tribunal americano em Seattle decidiu contra o FBI num caso onde a entidade tirou uma fotografia do ecrã de um smartphone sem um mandato. O FBI pegou no smartphone e tirou fotografia do ecrã de bloqueio, num caso específico.

O smartphone em questão pertence a Joseph Sam, que foi acusado dos crimes de roubo e violência. O seu equipamento, um Motorola, foi ligado por um dos agentes da polícia, aquando da sua detenção. Além disso, o FBI removeu o equipamento da sala de provas e ligou-o, tirando uma fotografia do ecrã de desbloqueio.

dfd

A alcunha de Joseph Sam estava no ecrã de desbloqueio, provando ser uma prova importante durante o processo. O advogado de Sam contestou, indicando que as provas foram obtidas de forma ilegal, não respeitando a privacidade do seu cliente.

O tribunal decidiu que as provas são válidas e que a polícia pode ter necessidade de revistar o criminoso, incluindo o seu telemóvel. Contudo, o tribunal condenou as ações do FBI, onde qualquer interferência posterior com as provas precisa de ser justificada com um mandato.

Caso é reminiscente de um conflito entre o FBI e a Apple

O FBI entrou em conflito com a Apple durante várias ocasiões onde a entidade solicitava à Apple que desbloqueasse os iPhones de criminosos para ajudar nas investigações. A Apple, sendo uma fabricante neutra, negou auxiliar o FBI dessa forma, indicando que seria uma violação da privacidade dos clientes.

Na verdade, o FBI solicitou à Apple que criasse uma "chave-mestra" para desbloquear todos os iPhones, algo que a Apple se recusou prontamente a fazer.

Editores 4gnews recomendam:

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.