TikTok vs YouTube: público prefere vídeos curtos à plataforma da Google

Rui Bacelar
Comentar

A era do YouTube já terá passado o seu apogeu, estando agora a reagir à ameaça crescente do TikTok. Com efeito, o seu formato de vídeos curtos continua a conquistar a preferência dos utilizadores. As conclusões são agora apontadas pela entidade App Annie.

Segundo o mais recente relatório desta entidade de pesquisa, nos Estados Unidos da América o TikTok já ultrapassou o YouTube em agosto de 2020 como app mais popular no que às instalações diz respeito. Entretanto, em junho de 2021 a app da ByteDance conquistou outra importante métrica, ultrapassando a plataforma da Google em tempo de permanência.

O TikTok é a nova força dominante no mundo do entretenimento

TikTok YouTube
Média de horas, por utilizador, nas aplicações TikTok (preto) e YouTube (roxo).

Mais concretamente, de acordo com a App Annie, em junho de 2021 os utilizadores viram mais de 24 horas de conteúdo por mês na plataforma. Já na plataforma de vídeos da Google, o YouTube, esta métrica ficou-se pelas 22 horas e 40 minutos.

De igual modo, também a publicação The Verge apontou o mesmo cenário. Na sua peça é demonstrado como TikTok passou o YouTube em maio último, afirmando que os utilizadores vêm quase 26 horas de conteúdo por mês, comparativamente com menos de 16 minutos no YouTube durante o mesmo período. Estas métricas apontadas são ainda mais gravosas para a plataforma da Google.

Ambos os relatórios, ainda que feitos por entidades distintas e com resultados marcadamente distintos, entregam a coroa ao TikTok. A plataforma da ByteDance mostra-se dominante sobretudo entre os utilizadores mais jovens.

O TikTok transformar-se gradualmente no "novo" YouTube

YouTube TikTok
Média de horas, por utilizador, nas aplicações TikTok (preto) e YouTube (roxo).

Importa frisar que as métricas apontadas pela App Annie só apuram os hábitos de utilização em utilizadores Android. Portanto, não será representativo da realidade global, faltando aqui as métricas dos utilizadores de iPhone, os telefones iOS da Apple.

Ainda assim, se nos Estados Unidos da América a diferença de tempo médio de visualização mensal entre ambas as plataformas não é muito grande, no Reino Unido a diferença é gigante. Aí, vemos que o TikTok domina já com grande vantagem.

Note-se ainda que o TikTok conseguiu ter mais tempo de visualização mesmo com vídeos mais curtos. Isto é, ao passo que o YouTube prefere vídeos com 10 ou mais minutos, no TikTok a maioria dos vídeos tem um minuto.

A era do YouTube acabou?

Entretanto, a TikTok já alargou este limite para três minutos e prevê-se que venha a alargar até cinco minutos o limite de duração. De qualquer modo, o intuito continuará a ser o mesmo, aumentar o tempo de permanência e retenção do seu público alvo.

Por fim, vemos agora o YouTube a apostar cada vez mais no formato Shorts, a sua resposta ao TikTok. O mesmo pode ser dito dos Reels do Instagram, também ele imitando o formato de clips breves introduzido pelo TikTok.

Tudo isto nos leva a crer que a nova figura popular seja efetivamente o TikTok. Não que o YouTube esteja minimamente numa tendência descendente, mas certo é que o público dá a sua preferência aos vídeos curtos, com recompensa imediata.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.