Cuidado! Spotify partilha dados pessoais com as editoras quando pré-gravas um álbum

Bruno Coelho
Comentar

Se já pré-guardaste um álbum no Spotify antes de este ser lançado, podes ter cedido dados a mais a uma editora. A Billboard notou que, por vezes, as editoras pedem permissão para acederem a informações como o teu email, o que tens ouvido ou quem segues.

Como vês na imagem abaixo, as editoras (nesse caso a Sony) pedem também permissão para podem mexer em quem segues ou até removerem coisas da tua biblioteca e controlarem o Spotify nos teus dispositivos. O utilizador pretende pré-gravar um álbum para ouvir quando este sair, pelo que a maior parte desta partilha de informação é desnecessária.

spotify sony permissões

Este pedido de permissão, como vês acima, exige que carregues num “learn more” (ver mais) para que vejas exatamente que permissões estás a dar. Ora, o mais provável é que a maioria dos utilizadores passe simplesmente à frente sem saber que dados está potencialmente a partilhar.

Spotify é pouco transparente em relação ao que é partilhado

Este tipo de ação é legal, mas o Spotify está a ser pouco transparente em relação ao que é partilhado. Em primeiro lugar, o serviço está a permitir que informação desnecessária seja partilhada com editoras, e em segundo lugar, não está a ser totalmente transparente na hora de mostrar aos utilizadores o que vão partilhar.

O Apple Music, maior rival do Spotify, revela-se mais claro nas suas permissões dadas às editoras. Este não partilha as tuas informações pessoais ou identificativas, e não oferece controlo sobre a tua conta. A única coisa que a Apple dá poder às editoras é de criar playlists, pedindo-te permissão primeiro.

A única coisa que uma editora precisa para pré-guardar música numa conta do Spotify é permissão para “adicionar ou remover itens na tua Biblioteca”. Tanto o Spotify, como a Sony e as outras editoras, recusaram-se até agora a comentar este assunto. O que se pede é clareza em relação ao que é partilhado.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Bruno Coelho
Bruno Coelho
O Nokia 3650 foi o primeiro grande mergulho no mundo tecnológico. Se o Ultimate Team é o seu atual saco de boxe, o Macbook Pro é o melhor amigo. Escrever sobre tecnologia é o processo natural na vida de alguém que come especificações ao pequeno-almoço.