Smartphones da Huawei não precisam (assim tanto) dos Estados Unidos! Mas os utilizadores sim!

Filipe Alves
Comentar

A Huawei está numa embrulhada complicada. O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, proibiu as empresas americanas de negociar com a Huawei. Os smartphones da Huawei foram aqueles que mais sofreram. Pelo menos as vendas dos seus equipamentos.

Isto porque a Huawei ficou proibida de utilizar serviços Google nos seus equipamentos. Ou seja, os novos smartphones da marca não contam com YouTube, Google Play Store, Google Maps ou até o simples Gmail. Todos estes serviços tem de ser acedidos pelo browser.

Smartphones da Huawei não são dependentes dos Estados Unidos

Huawei Maye 30 Pro

Contudo, no que toca ao hardware dos seus equipamentos, a Huawei não é assim tão dependente dos Estados Unidos da América. Numa "teardown" do Huawei Mate 30, podemos ver que a maior parte dos componentes do equipamento são asiáticos. Na verdade, só há um componente que é dos EUA.

Huawei era dependente da Google, tal como todos os outros

Não é apenas a Huawei que era dependente da Google. Todos os outros fabricantes estariam em pior situação se lhes acontecesse o mesmo. A Google conseguiu fazer dos seus serviços tão importantes e banais para os utilizadores que um smartphone que não o ofereça é posto de lado.

Espero sinceramente que esta proibição não dure muito mais. Aparentemente, teremos este problema até 2021 devido à extensão de Donald Trump. Contudo, o mercado precisa de uma marca como a Huawei para criar uma concorrência para intensa. No final do dia, quem ganha é o utilizador final. Ou seja, tu e eu!

De onde vem o Huawei Mate 30 Pro, por exemplo

O Corning Gorilla Glass é o responsável para que o ecrã não risque facilmente e um dos poucos componentes vindos dos EUA. Uma pequena cobertura ao ecrã que é dado para nos oferecer mais resistência. De referir que a Corning conseguiu uma licença extraordinária para continuar a negociar com a Huawei. Algo que a Google não conseguiu.

Assim sendo, olhando para o gráfico abaixo podemos ver que a maior parte dos produtos chegam um pouco por todo o mundo, todavia, os EUA não são um país propriamente importante para a construção do smartphone. Olhemos para o exemplo do Huawei Mate 30 Pro.

Componente Fornecedor País
Ecrã OLED Samsung Display Coreia do Sul
Processador HiSilicon China
Câmara traseira Sony Japão
DRAM SK Hynix Coreia do Sul
Painel de corpo Não identificado -----
Câmara frontal Sony Japão
Front end Model Murata Japão
NAND memória Flash Kioxia Japão
Bateria Huizhou Desay Battery China
Modem HiSilicon China
Antenas HiSilicon China
Sensor biométrico Goodix China
Duplexer TDK, Taiyo Yuden Japão
Painel de toque Não identificado -----
Proteção de vidro Corning EUA

Este gráfico que nos chegou pela Fomalhaut Techo Solutions, mostra-nos que para a construção do Huawei Mate 30 Pro, a Huawei não é assim tão dependente dos EUA. O maior problema estão nos serviços Google.

A Huawei pode até não depender do mercado americano, mas os utilizadores (principalmente europeus) precisam quase obrigatoriamente dos serviços Google para ter uma utilização de qualidade.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.