facebook 800x450

Nos dias de hoje, “quando a esmola é grande, o pobre desconfia”. Já dizia o ditado! Contudo, o projeto Free Basics do Facebook prometia acesso gratuito ao mundo online a todos os habitantes da Índia, mas onde isso apenas incluía o Facebook e os serviços que aderissem a esta plataforma (controlada pelo Facebook e com bastantes limitações para todos os associados).

Ainda que limitado ao Facebook, este projeto seria uma medida extremamente positiva, pois poderias aceder a estes serviços sem pagar.

   

Vê também: Há um jogo escondido no Facebook Messenger que poucos sabemmark zuckerberg facebook - 4gnews.pt

Porém, o TRAI, órgão indiano que regula as telecomunicações, proibiu o Free Basics, alegando que os serviços de internet gratuita devem respeitar a neutralidade da rede e a liberdade dos utilizadores, sem limitar o seu acesso. O TRAI argumenta ainda que, as empresas envolvidas nos projectos também devem estar de acordo com as directrizes reguladoras que as operadoras submetem.

Desde Dezembro que o TRAI já alegava dúvidas sobre a viabilidade do Free Basics e agora, após a decisão, defendeu que a acção foi tomada nos princípios da neutralidade da rede e de respeito aos utilizadores. O Facebook já tinham investido 45 milhões de dólares para promover o programa na Índia e vê agora este seu investimento ser completamente em vão.

É claro que não é igual mas, em Portugal, várias operadoras oferecem tráfego ilimitado para as apps de redes sociais e cujos tarifários têm preços bem acessíveis. Com a rapidez com que os dados móveis se esgotam hoje em dia (devido à quantidade de kbs que cada site/aplicação consome) é uma mais valia uma das aplicações que mais ajuda a esgotar o tráfego, ser ilimitada. Será que as operadoras indianas ainda não conseguiram chegar à conclusão que, o simples facto de “oferecerem” acesso ilimitado ao Facebook, poderá ser uma mais valia para angariar novos clientes? Ou haverá outras razões para este tipo de serviços ainda não ser disponibilizado?

Talvez queiras ver:

ViaBBC
Fontebuzzfeednews

Estudante de Direito e amante de tecnologia. Tudo o que é inovador na vida atrai-me (menos comida muito “fora do normal”).
No meio tecnológico, aprecio particularmente smartphones, computadores e automóveis.
Integrar a equipa da 4gnews começou por ser um desafio pessoal e agora é um orgulho coletivo.