Xiaomi, Samsung e Huawei crescem mais do que a Apple - Strategy Analytics

Rui Bacelar
Xiaomi Huawei Apple Samsung Galaxy J7 Max Android Samsung Galaxy J2 2018 smartphone Android total
A gigante tecnológica sul-coreana mantém-se no topo do mercado Android

Já estamos no 2º mês de 2018 mas os relatórios das agências de análise de mercado, alusivos ao ano de 2017, continuam a chegar. Depois de já aqui termos visto os relatórios da agência CounterPoint Research e da IDC vemos agora os dados da Strategy Analytics. Confirma-se assim o notório caso de sucesso da Xiaomi. Empresa que faz empalidecer a Samsung, Apple e a Huawei. Nenhuma cresceria tanto...

Apesar de ter dominado o último trimestre no que ao volume de vendas diz respeito, a Apple também venderia menos iPhone's durante este período. Comparativamente com o último trimestre de 2016 também a empresa de Cupertino venderia menos iPhone's. Todavia, lucraria mais com cada um dos equipamentos vendidos. Números que agora são duplamente confirmados com a divulgação dos resultados da Strategy Analytics.

Vê ainda: Nokia 7 Plus será a escolha ideal na falta de um novo OnePlus X

Enquanto entusiastas de tecnologia não resistimos a comparar o crescimento de várias empresas como a Huawei, Xiaomi, Samsung e claro, Apple. No geral, o ano de 2017 não foi dos melhores para a indústria. Pela primeira vez desde há vários anos, o mercado começou a dar sinais de abrandamento.

Mais concretamente, a Strategy Analytics conclui que no último trimestre (4º trimestre) de 2017 o mercado de smartphones caiu 9% comparativamente com o mesmo período de 2016. Uma queda algo acentuada para um mercado que tem vindo a crescer quase exponencialmente nos últimos anos.

Strategy Analytics analisa a Apple, Samsung, Xiaomi e a Huawei

Aliás, esta foi a maior queda registada desde que entramos na era dos smartphones. Seja Apple, Samsung ou Huawei, praticamente todas sentiriam uma ligeira quebra no número de vendas. Aqui cumpre salientar que a Xiaomi foi um caso de sucesso, tendo praticamente duplicado o número de vendas. Consequentemente, a sua quota de mercado pulou de 3.4% em 2016 para 6.4% em 2017 segundo o mais recente relatório da agência Strategy Analytics.

Tal como sugeriam os relatórios das demais empresas, a Apple foi a construtora mais popular no último trimestre do ano. Período durante o qual ultrapassou inclusive a Samsung para se tornar na maior fabricante mundial.

Nesse trimestre a Apple venderia 77.3 milhões de dispositivos móveis. A Samsung, por sua vez, vendeu 74.4 milhões de dispositivos móveis. Registariam uma quota de mercado trimestral de 19.30% (Apple) e 18,6% (Samsung). No panorama anual a Samsung manteve-se na liderança com 317,5 milhões de dispositivos móveis vendidos e com a Apple a vender 215,8 milhões de equipamentos. A sua quota de mercado anual foi de 21,10% (Samsung) e de 14,30% (Apple).

Apple, Samsung, Huawei e Xiaomi, os dados da Strategy Analytics

Strategy Analytics Apple Huawei Xiaomi Samsung
Chegam agora ao nosso conhecimento os dados da Strategy Analytics

No geral, o mercado de smartphones registou a referida queda de 9% face aos valores de 2016. Com efeito, tal como nos conta a analista chefe da Strategy Analytics, Linda Sui em comunicado oficial à imprensa, a culpa foi da China. Mais concretamente, a queda no mercado deveu-se à quebra na procura no maior mercado mundial de dispositivos móveis, a China.

Xiaomi foi a excepção, Huawei, Samsung e Apple aguentaram a pressão

Aí, a procura caiu cerca de 16% face aos valores anuais registados em 2016. Marcas como a Huawei, OPPO e Vivo sentiriam isto mais do que ninguém. Aqui, a única excepção seria mais uma vez a Xiaomi apesar de parte do seu sucesso poder ser atribuído ao crescimento na Índia. Mercado onde já terá destronado até mesmo a Samsung. Dados da agência Canalys.

A Strategy Analytics atribuiu esta queda de 16% no mercado chinês ao aumento dos ciclos de utilização. Em suma, as pessoas começam a utilizar durante mais tempo os seus smartphones à medida que a qualidade dos mesmos vai aumentando.

Além disso, as operadoras desse país deram menos incentivos à compra de novos modelos. Algo que se deveu também à melhoria da qualidade dos dispositivos de gama média. Pois bem, com utilizadores satisfeitos a procura por novos modelos sofreu uma queda previsível.

Mesmo assim, ainda segundo a Strategy Analytics, olhando para o panorama anual, em 2017 seriam vendidos mais de 1.5 mil milhões de dispositivos móveis. Cifra que representa o crescimento de 1% face ao valor anual de 2016. Número que vem também quebrar um novo recorde para este mercado.

Apple iPhone SE 2 pode ser aquilo que a marca precisa

Neil Mawston, diretor executivo da Strategy Analytics acrescenta. " A Apple vendeu 77.3 milhões de smartphones no último trimestre de 2017. Valor que representa uma queda de 1% face ao período homólogo de 2016 (78.3 milhões). Apesar da procura robusta pelo Apple iPhone X e com o preço de venda do iPhone X a atingir novos valores históricos, os números caíram. Olhando para o volume de vendas global da Apple tivemos uma queda gradual mas consistente ao longo dos últimos 5 a 8 trimestres".

Para contrariar este tendência, Mawston dá a entender que a Apple precisa de um novo iPhone SE. "Caso a Apple queira aumentar o volume de vendas no futuro, necessitará de lançar uma nova geração de iPhone's e diminuir o preço, não aumentar".

Huawei mantém-se firme com um olho na Samsung e outro na Xiaomi

Apple iPhone Samsung Galaxy Xiaomi Android Oreo 8.1 EMUI 8.1 Huawei P20 carregar bateria minutos carga smartphones Huawei crescer smartphones Android
A fabricante chinesa em breve apresentará a sua nova geração de equipamentos ©Bloomberg

A Huawei terá sofrido uma queda no volume de vendas no último trimestre de 2017. Isto face aos valores registados no período homólogo de 2016. De 44,9 milhões de dispositivos Huawei vendidos no último trimestre de 2016 cairia para os 41 milhões em 2017. Olhando para a sua performance anual venderia 138.8 milhões de equipamentos Huawei em 2016. Ao passo que em 2017 venderia um total de 153 milhões de unidades. Desta forma, apesar de um último trimestre brando, a Huawei conseguiu crescer.

Mais ainda, em 2016 a Huawei acabou o ano com uma quota de mercado de 9,30%. Em 2017 acabaria o ano com uma quota de mercado de 10.10%. Em suma, 2017 acabou por ser um ano positivo para a Huawei (números incluem os dispositivos Honor).

A Xiaomi é sem dúvida a marca revelação. Se no último trimestre de 2016 vendeu 14.9 milhões de dispositivos Xiaomi, no último trimestre de 2017 esse valor pulou para 27.8 milhões. Anualmente registaria 58.7 milhões de dispositivos vendidos em 2016 e 91.3 milhões de Xiaomi's vendidos em 2017.

A quota de mercado da Xiaomi passaria de 3.9% em 2016 para 6,10% em 2017. Segundo o mais recente relatório da Strategy Analytics.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Nokia 7 Plus chegará no MWC com preço apelativo e Android Oreo

Apple. Como verificar a saúde da bateria do teu iPhone com o novo iOS 11.3

Podcast 185: O sucesso da Xiaomi e a necessidade da Huawei evoluir

Fonte | Via

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.