Samsung pode ressuscitar câmaras com abertura variável nos seus smartphones

Carlos Oliveira
Comentar

A Samsung submeteu mais uma patente que visa revolucionar o sistema de câmaras presente nos seus equipamentos. Esta tecnologia visa ressuscitar o sistema de várias aberturas focais para a mesma lente, mas com novos contornos.

Desta feita, a sul-coreana idealiza um sistema em que as lentes das suas câmaras poderão mover-se no interior do smartphone. O intuito, uma vez mais, é tentar melhorar a qualidade das imagens capturadas.

Samsung patenteia câmara com lentes que se movem no interior do smartphone

O documento foi submetido pela Samsung junto das entidades competentes em outubro de 2020. Contudo, o teor desse documento só agora chegou a público graças à publicação LetsGoDigital.

Nessa patente, a Samsung expõe um novo sistema de câmaras que se movem dentro do smartphone. É utilizado, como exemplo, um sistema de três lentes em que cada uma terá direito a duas aberturas focais diferentes.

Samsung

As lentes, como se pode ver na imagem acima, estão originalmente dispostas na horizontal, mas as suas movimentações poderão criar um alinhamento triangular. Com efeito, temos a lente principal posicionada a meio e com a possibilidade de se mover para baixo.

À direita e à esquerda posicionam-se mais dois sensores que poderão mover-se para o interior. Estes serão os sensores grande angular e telefoto habitualmente utilizados nos topos de gama da Samsung.

Samsung
Crédito: LetsGoDigital

Quando as lentes se movem para baixo ou para o interior, cada lente assumirá a sua menor abertura disponível. Estas movimentações poderão ser muito importantes para obter melhores resultados, sobretudo em condições de pouca luminosidade.

Mais partes amovíveis podem significar mais problemas

Embora o conceito possa parecer interessante da perspetiva dos resultados fotográficos, do ponto de vista da durabilidade é uma preocupação acrescida. Afinal de conta, componentes amovíveis significam mais pontos para uma possível falha.

Note-se ainda que a inclusão dos motores para a movimentação das câmaras significará um smartphone mais pesado e mais espesso. Ou seja, nem tudo são benefícios e isso é algo que a Samsung terá de ter em mente antes de aplicação desta tecnologia nos seus produtos.

Relembro que a Samsung utilizou uma abordagem semelhante nos Galaxy S9 e Galaxy Note 9. Estes foram os primeiros smartphones da marca a contar com câmaras com diferentes aberturas focais, porém, a ideologia seria abandonada apenas um ano depois.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.