Home Android

Samsung Galaxy S9+: Quanto custa fabricar este Android?

Será que o Samsung Galaxy S9+ é mais caro a produzir que os seus antecessores? Vamos descobrir!

Samsung Galaxy S9+ Android
Samsung Galaxy S9+

A sul-coreana Samsung regressou a Barcelona para nos apresentar os seus novos topos de gama Android. Os Samsung Galaxy S9 e Samsung Galaxy S9+ foram desvendados no Mobile World Congress no passado dia 25 de fevereiro. Neste momento, os mesmos já se encontram nas prateleiras mundiais, o que significa que já podes adquirir o teu exemplar.

Esta par vem para substituir os Samsung Galaxy S8 que celebram agora um ano de existência. São evoluções incrementais na medida em que as diferenças entre os S8 e os S9 não são abismais. Podemos considerar que a sul-coreana aprimorou a sua fórmula.

Vê ainda: Oppo R15: Irmão do OnePlus 6 será apresentado a 31 de março

Apesar das poucas diferenças, este ano assistimos a mais um aumento de preços. Os novos Android da Samsung chegaram ao mercado por um valor acima do verificado em 2017 com os Galaxy S8. Uma escalada de preços que tem sido transversal a todo o mercado.

Mas será que os preços estipulados pelas marcas se justificam? Será que o Samsung Galaxy S9+ vale os 969.99€ solicitados? Embora as marcas nunca divulguem oficialmente os custos de produção dos seus produtos, é possível ter uma ideia daquilo que estes representam.

É por intermédio de terceiros, de analistas de mercado, que nos é possível estimar os custos de produção de muitos smartphones. Estes adquirem informações junto de várias fontes afetas ao mercado tecnológico para nos elucidar sobre o quanto custa produzir um smartphone.

Desta feita, temos a Techinsights a dar-nos a conhecer uma estimativa do quanto custará produzir o novo rei do Android, o Samsung Galaxy S9+. Mais do que isso, esta fonte oferece-nos uma breve comparação com outros topos de gama do mercado.

Apple iPhone X Samsung Galaxy S9
O custo de produção dos vários modelos.

Em primeiro lugar, cumpre salientar que o Galaxy S9+ custará cerca de 379$ dólares a produzir. É o seu ecrã Infinity Display aquele que requer da Samsung o maior esforço financeiro. Cada módulo custa à tecnológica cerca de 140.50$ dólares. No extremo oposto temos a sua bateria, que custa cerca de 5.50$ dólares por unidade.

O novo Samsung Galaxy S9+, com Android, é mais caro a produzir que o Note 8

Mas é quando comparamos o total de todos os componentes que vemos alguns dados curiosos. O Samsung Galaxy S9+ custa mais à marca para produzir que o Galaxy Note 8. Importa frisar que o Note 8 chegou ao mercado com um preço base de 1019.99€. A produção deste último, segundo a mesma fonte, custa apenas 369$ dólares.

Temos ainda de comparar o novo topo de gama Android da sul-coreana com o topo de gama da sua maior concorrente. O Apple iPhone X custará cerca de 389.50$ dólares para ser produzido. Não obstante, o seu preço de venda é bem superior ao do principal sujeito do presente artigo.

Esta discrepância de valores pode ser justificada pelo custo de cada componente. Uma vez que a Samsung utiliza vários componentes da sua autoria, esta consegue manter os custos de produção mais baixos. A Apple, por sua vez, tem de adquirir vários componentes junto de terceiros. Exemplo disso são os ecrãs do iPhone X produzidos, precisamente, pela Samsung.

Mais ainda, temos de somar a estes valores os custos de distribuição e margem de lucro de cada empresa. É apenas depois de pesados estes e outros pontos que se chega ao valor com que te deparas numa loja da especialidade. Pontos que variarão de empresa para empresa.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Huawei P20 Lite volta a ser revelado em vídeo Hands-On

Google oficializa novo Material Design do site web da Google Play Store

Pokémon GO: Shiny Lugia confirmada e detalhes sobre o Community Day

Fonte | Via

O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal passatempo.
Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia