Samsung e Apple vão reduzir produção de smartphones e mais marcas vão seguir o exemplo

Mónica Marques
Comentar

Após uma análise ao mercado de smartphones, Samsung e Apple têm vindo a reduzir a produção em massa dos seus smartphones.

Mas não são as únicas. Xiaomi, Vivo e OPPO seguem a mesma estratégia. Tudo para venderem as unidades que ainda têm em stock e evitar que fiquem muitos equipamentos “parados” nas prateleiras das lojas.

Desaceleração do mercado de smartphones obriga principais marcas a reduzir a produção

Mercado de smartphones
Mercado de smartphones regista queda nas vendas, a nível global Crédito@JonasLeupe/Unsplash

As principais marcas de smartphones, nas quais Apple e Samsung estão incluídas, têm vindo a reduzir a produção de equipamentos. De acordo com vários analistas de mercado, a desaceleração do crescimento económico global aliada a fatores como a guerra entre a Rússia e a Ucrânia afetam o mercado de smartphones que, este ano, vai registar uma descida de 6,8% nas unidades vendidas a nível global.

Ainda que as previsões de vendas globais para 2023 sejam mais otimistas, o ano de 2022 irá ficar marcado pelo declínio do mercado de smartphones. E, como não podia deixar de ser, o universo Android será aquele que vai registar uma queda mais acentuada.

As três principais marcas chinesas com modelos Android – Xiaomi, OPPO e Vivo – estão a registar perdas anuais na ordem de quase 20%. Para evitar ter demasiadas unidades em stock, os fabricantes de smartphones estão a reduzir a sua produção de unidades.

A Apple tem vindo a reduzir a produção dos modelos iPhone 14 e iPhone 14 Plus, concentrando os seus esforços na linha dos modelos mais procurados, o iPhone 14 Pro e 14 Pro Max.

Por sua vez, a Samsung, de acordo com relatos anteriormente divulgados, tem também vindo a reduzir a produção da sua principal unidade de produção, localizada no Vietname. Segundo algumas fontes, a produção nestas instalações representa agora apenas 50% das unidades disponibilizadas em todo o mundo.

Esta estratégia visa evitar que as marcas acumulem em stock demasiadas unidades. De acordo com os relatórios divulgados pela Strategy Analytics Wireless Smartphone, em novembro de 2022 a Samsung foi a marca que vendeu mais equipamentos, seguida logo pela Apple, ficando a Xiaomi em terceiro lugar.

Analistas mais otimistas para 2023

Ainda que em 2022, as marcas de smartphones fiquem marcadas pelo declínio deste mercado e pelas descidas acentuadas as vendas globais, os analistas estão mais otimistas para o próximo ano.

Prevê-se que em 2022, as vendas globais de smartphones sejam de 1,26 mil milhões de unidades vendidas em todo o mundo. A confirmar-se a previsão este é um declínio de 6,8% ano a ano.

Mas os analistas preveem que as vendas animem no próximo ano. De acordo com as previsões avançadas até ao momento, espera-se que em 2023 sejam vendidas, a nível global, 1,327 mil milhões de unidades, o que significaria um aumento anual de 5,2%.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira. Email:monicamarques@4gnews.pt