Redmi Note 10 com OLED ou LCD de 120Hz? Fãs da Xiaomi não têm dúvidas

Bruno Coelho
Comentar

A apresentação está marcada para o próximo mês de março. O país escolhido é a Índia. Aí serão apresentados primeiramente os Redmi Note 10, que prometem ser uma das linhas de smartphones em destaque no segmento de gama-média em 2021.

Como faz habitualmente, a Xiaomi gosta de “apalpar terreno” e ouvir os fãs sobre características preponderantes dos futuros telemóveis. Num questionário no Twitter, a conta oficial da Redmi Índia perguntou aos seguidores se preferem o melhor ecrã LCD possível com 120Hz ou um ecrã AMOLED.

Fãs da Xiaomi preferem AMOLED de 60Hz a LCD de 120Hz

“Se tivesses de escolher apenas uma das duas características seguintes no teu próximo Redmi Note 10, qual seria?”, pode ler-se na publicação. À data de escrita deste artigo, o AMOLED ganha com uma vantagem esmagadora de 87,9% após 3 horas.

Fãs da Xiaomi preferem AMOLED de 60Hz a LCD de 120Hz

É importante realçar que noutra publicação o vice-presidente da Xiaomi, Manu Kumar Jain, faz referência ao Redmi Note 10 como o smartphone “mais suave”. Como tal, uma das apostas da Redmi deve recair num ecrã LCD de grande qualidade combinado com 120Hz.

Este questionário deixa antever que a Xiaomi quer mostrar que consegue agradar aos dois mundos. Deverão ser apresentados mais que uma variante, havendo assim opções para quem quer LCD com 120Hz ou AMOLED com 60Hz.

Recorde-se que o Redmi 10X 5G lançado na China o ano passado tinha um ecrã AMOLED com 60Hz. E na Índia surgiram rumores de que o novo um dos Redmi Note 10 será uma nova versão deste terminal.

Com a apresentação prevista para o início de março, não teremos de esperar muitos dias até saber todos os pormenores.

Editores 4gnews recomendam:

  • Xiaomi Mi 11 Ultra: o smartphone mais caro de sempre da Xiaomi?
  • Xiaomi com Android 12 e MIUI 13: lista de smartphones que devem receber a atualização
  • Xiaomi Mi 11: marca revela fotografias capturadas com a sua lente de 108MP
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.