Qualcomm Snapdragon 670. Tudo o que precisas de saber

Rui Bacelar
Qualcomm Snapdragon 670 Qualcomm Snapdragon 820 presidente português Cristiano
Este será um dos novos processadores para os dispositivos de gama média.

Em 2018, se estiveres à procura de um novo smartphone de gama média / alta deverás prestar atenção ao seu processador. Mais concretamente, fica atento ao Qualcomm Snapdragon 670. Este é o novo SoC que chega para substituir o SD 660. Será um novo "motor" que trará performance de topo aos dispositivos de gama média. Começará a chegar aos mercados a partir de meados de 2018.

Tornar-se-á visão comum durante 2019 e com boas razões para tal. Depois de em 2016, a norte-americana Qualcomm ter adoptado o processo de construção a 14nm FinFET com o seu Snapdragon 820, entretanto os Snapdragon 630 e 660 adotariam este mesmo processo. Relativamente aos seus antecessores apresentam uma eficiência energética reforçada e maior performance.

Vê ainda: Google Play Store: 23 apps temporariamente grátis para o teu Android

Agora, a gigante norte-americana já abandonou o processo de construção a 14nm FinFET pelo novo processo de construção a 10nm FinFET. Vimos pela primeira vez esta litografia no topo de gama Snapdragon 835 em 2017. Agora, para 2018 veremos os primeiros processadores de gama média a adoptar este mesmo processo.

Note-se que ainda há poucas semanas atrás este mesmo Qualcomm Snapdragon 670 deixaria escapar alguns dos seus detalhes na Internet. Com base nessas informações podemos agora compilar uma lista / artigo com tudo o que precisas de saber sobre este promissor processador.

Qualcomm Snapdragon 670 é um octa-core

O Qualcomm Snapdragon 670 (SDM670), o novo SoC terá uma configuração distinta dos demais processadores da marca. Ao passo que até agora a construtora preferiu utilizar quatro núcleos de alta performance e quatro núcleos de baixo consumo nos seus SoC's octa-core, agora temos algo diferente. O SDM670 continua a ter 8 núcleos octa-core mas estes estão agrupados de forma diferente. Teremos 6 núcleos "pequenos" e 2 núcleos "grandes".

Qualcomm Snapdragon 670. Qualcomm Snapdragon 845 4gnews
O antigo alinhamento / divisão de componentes da marca

Este novo processador poderá ser caracterizado como um hexa-core + dual-core com base na sua configuração de núcleos. Utilizará uma variante personalizada pela Qualcomm dos Cortex-A55 da ARM, os Kryo 300 Silver no cluster hexa-core. Já nos outros dois núcleos a marca optou pelos mais poderosos Cortex-A75, os Kryo 300 Gold.

Qualcomm Snapdragon 670 mais poderoso que o SD660

Ao passo que o cluster de 6 núcleos terá um clock máximo de 1.7Ghz (frequência), o cluster dual-core (2 núcleos) terá uma frequência (clock) máximo de 2.6Ghz. Já por sua vez, os quatro núcleos de baixa potência do SD660 tinham uma frequência máxima de 1.8GHz. Os quatro núcleos mais poderosos tinham uma frequência máxima de 2.2GHz. Desta forma, temos uma ligeira melhoria no SDM670 face ao seu antecessor.

Note-se ainda que por norma os núcleos menos poderosos são aqueles que mais vezes estão ativos. São eles que tratam das tarefas básicas com a telefonia, entre outras. Por sua vez, os núcleos mais poderosos só são ativados quando, por exemplo, é executado algum jogo e outras tarefas mais intensas.

O mesmo sucederá com o SDM670, para as tarefas base do dia-a-dia será o cluster ou grupo de núcleos hexa-core a trabalhar. Posto isto, face ao seu antecessor terás mais dois núcleos para as tarefas comuns do que no seu antecessor. As diferenças já serão notórias.

Qualcomm Snapdragon 670, mais poderoso no dia-a-dia

Qualcomm Snapdragon 670 Qualcomm Snapdragon 845 Exynos 8895 Apple A11 Kirin 970 Samsung Galaxy 5G Qualcomm
SDM670 é um processador de gama média/alta.

Temos também uma nova gráfica, a GPU Adreno 615. Será uma melhoria substancial face à gráfica Adreno 512 utilizada no atual Snapdragon 660, apesar de esta última ter uma frequência de processamento superior a 850MHz. Por sua vez, a nova Adreno 615 tem uma frequência de processamento a 700MHz. Aliás, por pre-definição, para também gastar menos energia, a nova gráfica operará, por norma, a 450/650MHz. Todavia, incluirá uma opção "Turbo" de 700MHz.

Chegamos também a ver os resultados de testes / benchmarks na Geekbench onde ficamos com uma clara noção do seu potencial. Será praticamente tão poderoso como os processadores topo de gama de anos anteriores. Desde o 820, 821 de 2016 e até mesmo um digno rival do topo de gama SD835 lançado em 2017.

Nos testes de single-core, o Qualcomm Snapdragon 670 obteve 1854 pontos. Já nos testes multi-core teve um total de 5290 pontos. Estes resultados foram atingidos com 6GB de memória RAM e o sistema operativo Android Oreo 8.1. Configuração que deveremos encontrar em vários dispositivos de gama média-alta no final de 2018 e com fartura em 2019.

Resultado na plataforma GeekBench

Qualcomm Snapdragon 670
Resultado na Geekbench do suposto novo processador

Ao passo que o atual SD660 conta com um modem Snapdragon X12 LTE (Cat. 12), capaz de atingir velocidades de download de dados até 600Mbps e de upload até 150Mbps. Olhando para o novo Qualcomm Snapdragon 670 teremos um novo modem, o Snapdragon X2x LTE que, segundo consta, será capaz de atingir velocidades de download até 1Gbps.

Por último, este novo processador construído segundo o processo a 10nm será 30% mais eficiente do que o seu antecessor no consumo energético. Será também 27% mais poderoso do que o SD660. Em condições de uso normal consumirá menos 40% de energia. O resultado? Uma maior autonomia de bateria para os smartphones que o empreguem.

Este processador deverá ser apresentado de forma oficial no MWC 2018. A tecnológica norte-americana deverá aproveitar o grande palco de Barcelona para dar a conhecer oficialmente este seu novo motor.

Assuntos relevantes na 4gnews:

HMD Global prepara um Nokia 8 Pro com Qualcomm Snapdragon 845

Samsung Galaxy S9: relatos de primeiro contacto confirmam previsões

Apple WWDC: Já há possíveis datas para a revelação do iOS 12

Fonte |

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.