Qualcomm diz ter o melhor leitor biométrico disponível no mercado

Carlos Oliveira
Comentar

O vice-presidente de produtos da Qualcomm veio recentemente tecer comentários sobre os sensores biométricos que encontramos embutidos nos ecrãs. Para ele, os sensores óticos pelos quais muitas empresas optam não são tão seguros como a sua solução.

Esta semana, a Qualcomm apresentou o seu novo sensor de impressões digitais 3D. Apelidado de "3D Sonic Max" este consegue reconhecer até dois dedos em simultâneo. Para isso contribuiu a sua superfície 17 vezes maior que a da geração anterior.

Qualcomm 3D Sonic Max

Qualcomm diz que sensores óticos podem ser facilmente enganados

Os sensores óticos que vemos em equipamentos como o OnePlus 7T fazem um mapeamento 2D do teu dedo. Isso faz com seja mais fácil enganar o sensor com um simples clone do teu dedo.

Já no que respeita aos sensores 3D, como é o caso do novo "3D Sonic Max" da Qualcomm, esse cenário não se verifica. O executivo da norte-americana afirma que o sensor consegue ainda monitorizar o teu ritmo cardíaco, o que impossibilita o uso de dedos sintéticos.

Sensores 3D da Qualcomm já se provaram vulneráveis

Estas declarações são muito bonitas, mas temos de ter em consideração o passado recente da norte-americana. O Samsung Galaxy S10 utiliza o primeiro sensor biométrico 3D da Qualcomm é já pudemos ver como ele pode ser enganado.

No caso do smartphone da Samsung, uma simples capa de silicone possibilita que qualquer pessoa passa aceder ao equipamento. Um cenário que em nada favorece as declarações aqui relatadas.

O novo sensor "3D Sonic Max" - que é aqui usado como comparação - ainda não chegou ao mercado, logo não sabemos como se porta. A Samsung é novamente uma forte candidata para adotar este sensor, porém, a empresa já referiu que não iria usar a mesma tecnologia presente no Galaxy S10.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.