Pokémon Go: Grupo de hackers são levados a tribunal pela Niantic

Vitor Urbano
10 comentários

A Niantic perdeu a paciência e decidiu avançar com diversos processos em tribunal contra um conhecido grupo de hackers. Estes hackers, pertencentes ao grupo Global++, criaram uma versão alternativa do Pokémon Go que permitia aos utilizadores ganhar uma vantagem ilícita sobre os restantes jogadores.

Estas acusações envolvem mais de 20 membros da alegada "associação de hackers", onde estão incluídos Ryan "ElliotRobot" Hunt e Alen "iOS n00b" Hundur, os principais developers das Apps em questão.

Pokémon Go++
Lista de ferramentas presentes no Pokémon Go++

Quais as Apps que levaram a estes processos jurídicos

O grupo Global++ desenvolveu não só uma aplicação destinada a atacar o Pokémon Go, mas também uma destinada a atacar o original jogo de realidade aumentada da Niantic, Ingress.

Tanto a Pokémon Go++, como a Ingress++, permitem aos jogadores tirar proveito de uma grande variedade de ferramentas que os ajudam a obter melhores resultados no jogo. Desta forma, conseguem uma vantagem ilícita sob os seus adversários.

Além disso, a Niantic afirma ainda que este tipo de aplicação quebra sem qualquer dúvida os direitos da empresa para com a sua propriedade intelectual.

Não é apenas as implicações diretas destas Apps no ecossistema dos seus jogos que a Niantic quer abordar durante estes processos. A empresa revelou ainda ter conhecimento que o grupo Global++ vendia subscrições para que os utilizadores tivessem acesso a estas aplicações, conseguindo receitas milionárias.

Cheats são inevitáveis e tristes consequências de um grande sucesso

No mundo dos vídeo-jogos, há uma constante que nunca foi alterada ao longo das décadas. Se um jogo atinge um grande nível de popularidade, é inevitável que hackers não tentem tirar proveito dessa popularidade para ganhar dinheiro ao criar ferramentas ilícitas.

Como seria de esperar, com a grande 'febre' do Pokémon Go no verão de 2016, foram muitas as ferramentas que foram surgindo ao longo dos meses.

Existiam várias ferramentas disponíveis, e todas elas tinham praticamente as mesmas finalidades. Entre as várias funcionalidades, os utilizadores podia configurar a App para simular uma localização de GPS, descobrir onde se encontram Pokémons raros e também simular movimento.

Todas estas funcionalidades permitem aos jogadores ganhar uma grande vantagem perante a restante comunidade, acabando por denegrir toda a experiência de jogo de quem não recorre às cheats.

Editores 4gnews recomendam:

10 comentários
Vitor Urbano
Vitor Urbano
Sempre de mão-dada esteve a tecnologia, o desporto e o mundo gaming. Por isso, se não estiver a escrever sobre o que de novo há no mundo da tecnologia, o mais provável é estar a jogar uma partida de Ultimate Team no FIFA 19.