MEO Beachcam é a app que precisas este verão. Mais de 100 praias no teu bolso

Bruno Coelho
Comentar

Há aplicações simplesmente imprescindíveis no smartphone. Falamos de essenciais como o Google Maps, o Spotify ou o WhatsApp. Mas se és fã de praia, há uma app que não pode faltar no teu smartphone este verão.

Falo-te da app do MEO Beachcam. Este é “um serviço que resulta da parceria entre o MEO, marca de segmento de consumo da Altice Portugal, e o Beachcam, serviço gratuito de livecams que permite aceder a imagens das praias portuguesas”.

O serviço não é novo, mas continua a crescer e já conta com 100 praias. Isto significa que, de norte a sul do país, e na Região Autónoma da Madeira, são já 100 praias das quais podes consultar a câmara antes da deslocação.

meo beachcam

MEO Beachcam permite ver a tua praia preferida em direto e muito mais

“O serviço MEO Beachcam disponibiliza informação, em tempo real, sobre a lotação das praias, através de bandeiras com a seguinte legenda: bandeira verde, ocupação baixa; bandeira amarela, ocupação média; e, bandeira vermelha, ocupação plena”, esclarece a MEO em comunicado.

Em tempos onde todo o cuidado é pouco, a melhor parte do MEO Beachcam continua a ser o facto de poderes ver a tua praia preferida em direto. Desta forma podes saber se o tempo, o mar e a lotação da mesma te agradam antes de ires.

No site do MEO Beachcam ou nas apps disponíveis para Android ou iOS, tens ainda dados sobre “condições meteorológicas, a intensidade do vento, a temperatura do mar, o nível das ondulações e outras informações relevantes fornecidas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera”.

É importante referir que este serviço funciona 24 horas por dia, e 7 dias por semana. O site criado em 1998 foi pioneiro na Europa, e até pode ser acedido através da tua box da MEO. No meu smartphone, é uma das apps obrigatórias nesta estação do ano.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.