iPhone 8

2017 será um ano para recordar em matéria de smartphones. Afinal, mesmo que acabasse agora, já o seria, mesmo que o suposto iPhone 8 ou iPhone X ainda não tinha sido apresentado.

Contudo, cada dia que passa encurta a distância para a apresentação do smartphone que não revolucionará o mercado, mas que, por outro lado, poderá tirar o rótulo de boring que a Apple criou nos últimos tempos. Sem dúvida que isso acontecerá, uma vez que ninguém espera nada menos que um estado de perplexidade pela positiva, exceto as concorrentes.

   

E por falar em concorrentes, o novo iPhone 8 deverá ter bastantes parecenças com o Galaxy S8. Ok, talvez não sejam tantas quanto isso. Teoricamente, só terá uma traseira em vidro e um ecrã gigante, num corpo que caberá em qualquer mão. Ou seja, será o final daquelas bordas tão grandes e aborrecidas que temos visto desde o primeiro iPhone.

iPhone 8

Pois bem, novos renders do iPhone 8 mostram, finalmente, um design aceitável e bastante elegante até. Começando pela parte frontal, ao que parece, quase que poderá ser confundido com um S8, com as devidas aspas. Já a sua traseira, é toda ela semelhante ao que temos visto.

Contudo, a disposição das suas câmaras, sim, plural, visto que deverá contar com tecnologia Dual-Câmara atrás, é bastante questionável e, para muitos, pode até nem ser tão bonita quanto gostariam. É claro que isto são apenas renders mas também é verdade que vão sendo cada vez mais e mais.

Por último, onde ficará o Home Button? Talvez venha a ser implementado no ecrã. Isso sim, seria caso para afirmarmos que este seria um smartphone revolucionário. Esperemos que seja, dado que ninguém quer andar a fazer ginástica ao dedo para desbloquear o smartphone que usa, literalmente, todos os dias.

Outros assuntos relevantes:

Samsung Galaxy S8+ poderá vender mais que o Galaxy S8

Silicon Valley: Ninguém consegue trabalhar sem paixão

Xiaomi Mi 6: Primeira “fornada” terá 80 mil unidades. Suficiente?

FonteBGR
Desde cedo comecei a interessar-me pelo que podia fazer no computador. Porém, a grande paixão surgiu com o primeiro telemóvel e complementou-se com os smartphones. Nada há a dizer, são simplesmente fantásticos e úteis em todo o tipo de situações.