Huawei Mate 30 Pro. Smartphone sem serviços Google já foi desmontado em vídeo

Bruno Coelho
Comentar

O Huawei Mate 30 Pro tinha tudo para ser um dos smartphones mais irreverentes a chegar ao mercado em 2019. Isto porque conta com um ecrã cascata que nos faz perder de vista as suas margens laterais.

O facto de não ter botões físicos laterais, também o torna um dispositivo interessante, na ótica de testar se ter botões capacitivos será prático na ótica do utilizador. Mas sem serviços Google, o smartphone está longe de ser um sucesso fora da China, não deixando de levantar curiosidade num vídeo em que é desmontado.

O youtuber Zach Nelson do canal JerryRigEverything já nos tinha mostrado que o smartphone era bastante robusto no seu teste de resistência. Agora mostrou-nos o belo pedaço de engenharia que é o interior deste terminal.

Na hora da desmontagem, o dispositivo confronta-nos com 22 parafusos de três tamanhos diferentes. Ainda assim, podes notar que estamos a falar um dispositivo com os componentes bem separados. Isto significa que trocar um simples componente não será uma dor de cabeça.

Bateria do Mate 30 Pro pode ser facilmente trocada

A própria bateria não está colada. Isto significa que, quando esta morrer, não será propriamente difícil de remover. Seria bom ver mais fabricantes a apostar neste tipo de modularidade no interior dos seus topos de gama.

Em termos de especificações, o Mate 30 Pro é um dos melhores terminais atualmente no mercado. Não deves tentar em casa este tipo de desmontagem, mas se tens este smartphone, não deves preocupar-te se algum dos componentes tiver de ser substituído no futuro.

Editores 4gnews recomendam:

  • Huawei Mate 30 Pro sofre bastante em teste de resistência
  • Xiaomi, Huawei, Vivo e OPPO unem-se contra a Google Play Store!
  • Xiaomi está a derrubar tudo e todos na Europa! Huawei não está a aguentar a pressão!
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.