Google não disse toda a verdade sobre o processador Tensor do Pixel 6

Carlos Oliveira
Comentar

Com o lançamento dos Google Pixel 6 e Pixel 6 Pro, a empresa americana lançou o seu primeiro processador. Este é conhecido como Tensor e, segundo a empresa americana, foi desenvolvido pela própria de raiz.

Todavia, várias informações apontam noutro sentido e indicam que a Google não disse toda a verdade. Isto porque foram encontradas referências que ligam o Tensor a um processador Exynos que a Samsung nunca lançou.

Tensor da Google é afinal uma versão modificada de um Exynos

Andrei Frumusanu da publicação Anandtech, vasculhou recentemente o firmware do Pixel 6 e encontrou algo que a Google não disse publicamente. Este analista deparou-se com fragmentos de código que apontam para uma relação entre o Tensor e um Exynos.

Google Tensor

Segundo as suas informações, o Google Tensor foi desenvolvido a partir de um SoC posicionado entre o Exynos 2100 e o Exynos 2200. Por outras palavras, um SoC que fica entre gerações, visto ser mais poderoso que o processador dos Galaxy S21, mas ligeiramente abaixo do que está a ser desenvolvido com a AMD.

Estas informações indiciam que a Google não desenvolveu o seu Tensor de raiz tal como fora referido na apresentação. Na verdade, ela baseou-se num processador da Samsung que não foi lançado.

Isso pode ajudar a explicar porque o desempenho do Google Tensor não impressionou. Os testes de benchmark conhecidos revelam uma performance bastante aceitável para a gama em que se posiciona, mas não iguala os seus concorrentes da Qualcomm.

Em contrapartida, o Google Tensor conta com um módulo de processamento de imagem muito interessante que permite ao Pixel 6 posicionar-se como uma das melhores câmaras da atualidade. Ou seja, a tecnológica americana não deixou de parte o seu cunho neste processador.

Os Google Pixel 6 e PIxel 6 Pro foram anunciados a meados de outubro e mostram que a empresa quer olhar para o segmento premium com estes produtos. Possuem um design próprio, uma qualidade de construção acima da média e novos sensores nas suas câmaras. Todavia, não estão disponíveis em Portugal.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.