"Google e Facebook são uma ameaça". George Soros, duro, em Davos

Rui Bacelar
George Soros Facebook Android Google
Ambas as gigantes foram duramente criticadas ©Dado Ruvic/Reuters

O Google e o Facebook são uma "ameaça" e são autênticos "escravos" da necessidade de manter a sua posição de dominância e liderança numa indústria que será eventualmente "desfeita". Declarações de George Soros, magnata industrial à margem do Fórum Económico Mundial em Davos, na Suíça.

Foi neste mesmo fórum onde vimos a Google a anunciar que abriria em Oeiras, um novo office que criará cerca de 500 postos de trabalho. Trata-se de um novo Hub tecnológico, que abrirá as portas em junho. Segundo consta, criará mais de 500 postos de trabalho. Decisão que foi também aplaudida por Paddy Cosgrave. A Google pode ser a primeira de várias outras "gigantes" a rumar a Portugal.

Vê ainda: 37 aplicações gratuitas na Google Play Store para o teu Android

Para George Soros, com os seus 87 anos de sabedoria, a natureza dos monopólios da Internet não são favoráveis ao desenvolvimento e trabalho a favor do bem da sociedade. Qualquer expectativa de que tal possa acontecer por parte da Google, Facebook ou outra gigante é pura ingenuidade. Aponta Soros.

George Soros não poupa críticas ao Facebook e Google

O veterano George Soros pede ainda uma regulação digital mais dura e apertada das gigantes como a Google e o Facebook. Criticou ainda a insistência do Facebook e do Google em descrever-se como "distribuidoras de conteúdo". Soros argumenta que a sua posição de dominância da indústria torna o Facebook e a Google em "utilidades públicas" que carecem de regulamentação. Segundo avança a Reuters, a administração Trump partilha deste sentimento.

George Soros argumenta que neste momento nada impede a Google ou o Facebook de firmarem negócios ou parcerias com regimes autoritários em qualquer ponto do mundo. Tudo isto para conseguirem entrar em novos mercados e assim expandir as suas áreas de influência. Em troco desta expansão, poderão ter que ceder vários dados de vigilância a estes regimes autoritários.

George Soros participou no Fórum Económico Mundial em Davos, na Suíça

George Soros Facebook Android Google
Investidor não poupa críticas à rede social e motor de busca ©Reuters

O investidor octogenário referiu especificamente que as visões de distopias digitais idealizadas por George Orwell, Huxley ou Aldous, afirmando que nem estes autores poderiam ter imaginado aquilo que o Facebook e a Google podem fazer. Caso queiram, claro.

George Soros acusa ainda a Facebook e a Google de orquestrarem vários mecanismos de viciação dos utilizadores. Para criarem no seu público a necessidade de continuarem a utilizar os seus serviços. Tudo isto para explorarem a vertente económica daí resultante.

O criticismo de George Soros é bastante significativo. Não só por ser proferido por um dos mais influentes "grandes homens de negócios" do mundo mas também pelos seus pontos de vista, por norma, irem ao encontro da maioria de Silicon Valley. É, por regra, bastante liberal e progressista.

Note-se que estes seus comentários vêm acrescentar peso às preocupações sobre as redes sociais e a gigantes da Internet. Algo que a Comissão Europeia vem alertando há já algum tempo. As suas críticas estão longe de ser as únicas. Ainda há pouco tempo atrás, o magnata dos media, Rupert Murdoch, partilhou uma opinião muito semelhante a esta que acabamos de expor.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Huawei. Os aparelhos que vão receber o Android Oreo 8.0 – EMUI 8.0

Samsung Galaxy S9. Novas imagens chegam à Internet

5 coisas que queremos ver no novo LG G7

Fonte |Via

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.