Samsung Galaxy S8
Samsung Galaxy S8

O novo Samsung Galaxy S8 é um dos mais irreverentes e futuristas equipamentos que podemos encontrar no mercado atualmente. O seu design é já algo a ter em conta, mas a quantidade modos de autenticação presentes neste smartphone também o distanciam da concorrência.

Os detentores de um Galaxy S8 têm ao seu dispor um sensor de impressões digitais, um leitor de íris e ainda o desbloqueio por reconhecimento facial. Já sabemos que este último pode ser facilmente enganado com recurso a uma simples fotografia. E agora descobre-se que também o leitor de íris do Galaxy S8 pode ser ultrapassado com uma técnica algo simples.

Vê também: Galaxy Note 8 chegará com câmara dupla e leitor biométrico no ecrã

   

Antes de mais, convém realçar que a Samsung já veio a público afirmar que o leitor de retina é um dos métodos que maior segurança oferece. De facto, este tipo de autenticação biométrica funciona muito bem no Galaxy S8, mas depois das informações hoje conhecidas passaremos a olhar para ele com outros olhos.


Um grupo de investigadores chamado Chaos Computer Club, veio hoje a público com um método capaz de ludibriar o leitor de retina deste flagship. Para o efeito, eles necessitam apenas de uma câmara fotográfica e uma lente de contacto.

Com recurso à câmara fotográfica, foi tirada uma fotografia ao detentor do equipamento, em modo noturno para captar a mesma imagem em infravermelhos que o leitor de retina do Galaxy S8 lê. Posto isto, essa mesma foto foi imprimida numa impressora da própria Samsung – veja-se a ironia – e sobre a retina do sujeito colocada uma lente de contacto.

Samsung Galaxy S8

Este último objeto é requerido afim de criar um efeito tridimensional sobre a imagem imprimida. Desta forma, o leito de retina do Samsung Galaxy S8 irá reconhecer aquilo como algo real e assim desbloquear o equipamento.

Leitor de retina do Galaxy S8 afinal não é tão seguro como a Samsung afirmava

Como podes constatar, este é um método que até nem é assim tão complicado quanto isso. Claro que exige mais algum trabalho do que o conhecido para ludibriar o reconhecimento facial, mas ainda assim nada do outro mundo.

Em todo o caso creio que não haja razão para alarmismos, pois para que tal tenha sucesso os meliantes teriam de andar a tirar fotografias de média distância a todos os que roubassem o smartphone. Mas fica aqui a consciencialização para a Samsung de que, afinal, o seu leitor de íris não é tão seguro quanto andavam a afirmar.

Outros assuntos relevantes:

OnePlus 5 vai ter cinco cores de acordo com tweet da fabricante

Honor apresenta os seus novos tablets Play Tab 2

Surface Pro (2017) é oficialmente apresentado e estas são as suas novidades!

Viaphonearena
FonteChaos Computer Club
O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.