Gadgets da Fitbit podem ajudar-te a saber quando estás prestes a apanhar uma gripe

Carlos Oliveira
Comentar

O jornal The Lancet Digital Health diz que um estudo concluiu que os wearables da Fitbit podem ajudar a perceber quando está prestes a chegar um surto de gripe. Esta será certamente uma funcionalidade que quase ninguém esperaria ser possível desenvolver.

O estudo foi levado a cabo em vários estados norte-americanos, contemplando um universo de mais de 47 mil utilizadores. As conclusões dizem ainda que este método é mais eficaz que os atualmente utilizados para a prevenção desta doença. Uma afirmação algo arrojada.

Fitbit combina o teu batimento cardíaco e monitorização de sono para tais conclusões

O ponto de partida para prever se estás na eminência de apanhar uma gripe é o teu batimento cardíaco e a qualidade do teu sono. Funcionalidades que qualquer dispositivo semelhante é capaz de monitorizar.

Fitbit

O alerta é dado quando se regista uma média de batimentos cardíacos acima do habitual e a qualidade do teu sono não estiver abaixo do esperado. Estes dados foram depois comparados com as estimativas divulgadas pelo Centro de Controlo de Doenças dos EUA.

Atualmente, qualquer dispositivo do género com ênfase desportivo consegue recolher os dados referidos. Isto deixa-nos a pensar se tal poderá requerer um algoritmo especial para o efeito ou se simplesmente ainda ninguém tinha pensado nisto.

Conclusões são promissoras, mas mais estudos devem ser feitos

Depois de publicado este estudo, um especialista da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres já teceu algumas considerações. Este refere que os dispositivos de monitorização de atividade física têm, efetivamente, potencial na previsão de doenças, mas mais estudos devem ser realizados.

É difícil medir o quão confiáveis são estes dados, especialmente quando não temos muitos relatos sobre acontecimentos do género. O Apple Watch é já um dispositivo credível no rastreio de doenças cardíacas, mas essa credibilidade não foi construída de um dia para o outro.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.