Fim da IPTV pirata em Portugal? Esta tecnologia vai dar que falar

Bruno Coelho
Comentar

A denominada IPTV pirata tornou-se bastante popular ao longo dos últimos anos. Esta permite aos utilizadores assistirem a canais premium, por um preço reduzido, recorrendo a listas de canais de origem duvidosa.

Mas está o fim da IPTV pirata em Portugal e no resto do mundo mais próximo? Assim o indica, depois da mais recente patente revelada pela gigante tecnológica Sony.

Sony faz pedido de patente que pode acabar com a IPTV pirata

Segundo o que avança o site Torrent Freak, a Sony quer patentear uma tecnologia anti-pirataria. Ao que parece, esta poderá detetar e bloquear aplicações pirata de Smart TVs e media players (como boxes).

iptv

Esta usa software de monitorização, sendo que aplicações de terceiros poderão assim ser bloqueadas tantos nesses como noutros dispositivos. O objetivo passa por proteger os direitos de autor e transmissão de conteúdos.

A luta da Sony contra a pirataria remonta já ao ano 2000. À data, a gigante tecnológica declarava ataque total à pirataria. E isso verificou-se ao longo dos anos com várias ações “agressivas” de combate à mesma.

Este novo pedido de patente da Sony não se deve limitar às operadoras de internet. Isto porque a empresa quer obter o poder de bloquear determinada app na tua Smart TV ou media player, caso a vejo como pirata.

Bloquear aplicações piratas nos dispositivos será o objetivo da Sony

A proposta de patente dá pelo nome de “Controlo anti-pirataria baseado na função de lista negra”. Basicamente descreve esta tecnologia que será capaz de bloquear aplicações de terceiros que dão acesos a conteúdo pirateado. As aplicações serão detetadas no hardware recorrendo a software de monitorização.

“A aplicação de monitorização tem privilégios de sistema para examinar o código e a execução da aplicação de terceiros instalada no dispositivo eletrónico”, afirma a Sony.

Esta tecnologia poderia atuar sempre que os utilizadores tentassem instalar apps não controladas, ou banidas de lojas oficiais. “Nesses cenários, as apps piratas podem fornecer conteúdo premium ao dispositivo de streaming sem autorização e podem subverter os serviços de provedores de conteúdo legítimos”, destaca a Sony.

Resta agora saber se, e quando, esta tecnologia ao estilo spyware vai ver a luz do dia e ter real efeito na vida dos utilizadores deste tipo de serviços.

Editiores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Colabora com a 4gnews desde 2017, e faz parte da redação desde 2019. Come especificações ao pequeno-almoço. brunocoelho@4gnews.pt